Zetra: Velejadores brasileiros elogiam a estrutura da Marina Itajaí

0
152

AAAAAAAAAAAAAAA (1)

 

 

Os brasileiros Eduardo Penido e Renato Araújo concluíram a travessia da Regata Jacques Vabre no último domingo.Os simpáticos velejadores foram os únicos brasileiros a disputar a regata e levaram 28 dias para cruzar o Atlântico.Com seu barco Zetra atracado na Marina Itajaí os dois foram só elogios tanto aos organizadores do evento, quanto a estrutura náutica que encontraram por aqui.


Edição – Adilson Pacheco
Fonte -Alex Ferrer/Agência A
Post -25/11-22:50



 

Velejadores brasileiros elogiam a estrutura da Marina Itajaí. Os primeiros brasileiros a disputarem a tradicional regata francesa Jacques Vabre, concluíram a travessia transatlântica entre Le Havre, na França e Itajaí, em Santa Catarina, em 28 dias, depois de enfrentarem ondas gigantes e condições meteorológicas extremas. A recepção, segundo o velejador Renato Araújo, não poderia ser melhor.

– “Chegamos às 10 horas da noite e fomos recebidos com festa, foguetório, caipirinha, champanhe, banana, maça, tudo que a gente queria”, comemorou Renato.

A bordo do barco Zetra estava a dupla formada pelo campeão olímpico de Moscou, em 1980, Eduardo Penido e o empresário Renato Araújo. Eles e mais 41 veleiros de alto desempenho partiram de Le Havre, para um percurso de 10 mil quilômetros pelo Atlântico.

A regata chegou a sua 12ª edição e teve quatro categorias disputadas: a Class40 (veleiros de 40 pés), a Multi50 (50 pés), a IMOCA (60 pés) e a Ultime (barcos de até 102 pés). A competição é disputada em duplas, larga sempre da cidade portuária de Le Havre, na Normandia, com destino a um país produtor de café, característica que lhe rendeu o apelido de “Rota do Café”. A regata já passou por cidades como Cartagena (Colômbia), Puerto Limon (Costa Rica) e Salvador (BA) em 11 edições e esta foi a segunda vez que a competição teve como destino Itajaí.

Eduardo ficou encantado com o que viu em terras catarinenses. “Saímos de um país de primeiro mundo, com marinas maravilhosas e quando chegamos em Itajaí encontramos outra marina maravilhosa, com instalações boas e uma capacidade de crescer, que não existe lá”, observou o velejador. Para o campeão olímpico Itajaí tem tudo para crescer e investir em evento náuticos, pois além do mar e do vento a favor, conta com uma infraestrutura completa, incluindo as vagas para os barcos e os guindastes.

Renato, muito feliz com a participação agradeceu aos organizadores do evento e aos responsáveis pela marina e prometeu que a dupla estará na próxima edição da Jacques Vabre, que acontece em 2017. “Em 2017 estaremos novamente na raia e esperamos alcançar uma colocação melhor do que a que atingimos nesta edição”.