XP Sertões Kitesurf – Etapa Aeris exigiu bastante dos competidores com trecho de upwind para Pro e Elite

0
130

Etapa Aeris exigiu bastante dos competidores com trecho de upwind para Pro e Elite. Yaron Moura e Julieta Biasotti saíram na frente

De Guajiru a Guajiru. Assim será o segundo dos cinco dias de competição do XP Sertões Kitesurf, o maior rally de longa duração da modalidade no planeta. Mas aqui, cabe a explicação: a etapa começará na Praia do Guajiru, em Trairi e terminará na Ilha do Guajiru, em Itarema.

Um pedaço de terra que se desprendeu do continente e está separado dele por uma lagoa de água salgada e, com a baixa profundidade, proporciona condições perfeitas para velejar a altas velocidades. Além, é claro, de um visual privilegiado que os atletas do Brasil e outros oito países terão à sua espera.  Mais uma vez com a expectativa de vento de sobra pelo caminho. Desta vez, a Locanda dei Venti recepcionará os participantes da prova.

Se o percurso do dia, com 95 quilômetros, é igual para todas as categorias, os velejadores da Pro e da Elite desta vez não terão de encarar upwinds (a navegação contra o vento). O da Etapa Aeris, que os levou do Kite Cabana, em Cumbuco, ao Guajiru Kite Center (GKC), nesta terça-feira (12), desgastou as pernas e exigiu bastante força até a Tabuba, de onde o grupo retornou ao ponto de largada e passou a velejar a favor do vento. Ao todo foram 125 quilômetros.

 

Na Pro, dois kitesurfers da região duelaram até o fim pela vitória. Revelação da primeira edição do XP Sertões Kitesurf, Yaron Moura, do Preá, levou a melhor sobre o campeão de 2022 Alex Neto, o Netinho, do Cumbuco. No feminino, a etapa Aeris terminou com o abraço carinhoso das três primeiras, que ao longo de praticamente toda a distância se revezaram na frente. A argentina Julieta Biasotti levou a melhor sobre a piauiense Bia Silva e a vencedora da última edição, Gabi Reynard. Bruno Simão foi o melhor na Elite.

Para as demais categorias, a etapa Aeris foi sinônimo de um downwind poderoso, mas também cansativo, iniciado na Praia do Pecém, junto ao porto de mesmo nome, em São Gonçalo do Amarante. Os velejadores passaram por Paracuru e Paraipaba, onde estavam os check points.

Na Adventure, João Carlos Sanabio, o Junior Pipoca foi o mais veloz. Eduardo Botelho saiu na frente na briga pelo título da Master. Mesmo caso de Adriano Lopes, na Grand Master (55+). Kauan Esmerino levou na Pro Jr., que faz o percurso mais curto.

Aspas

Yaron Moura (vencedor Pro Masculino)
“Foi muito bom, fiz o meu melhor, procurei administrar a resistência e colei nos primeiros. É uma satisfação correr com os melhores do mundo. É só o começo, espero que todos se divirtam e aproveitem o campeonato, que é o melhor de que participei”.

Alex Neto (segundo Pro Masculino)
“O começo em upwind até a Tabuba foi bem pesado. No trecho de downwind eu procurei acompanhar o Yaron (Moura), mas ele estava muito forte. Engatei a terceira marcha e vim nas 1.500 rotações, em um ritmo constante”.

Julieta Biasotti (vencedora Pro Feminino)
“Fiz três bóias do Upwind na frente e, no downwind, vim o tempo todo me revezando com a Bia e a Gaby. Na altura de Paracuru perdi a prancha e gastei uns 10 minutos para recuperar e voltar à prova. A partir daí, adotei a estratégia de quem não tem nada a perder: as meninas foram buscar a lâmina d’água e eu saí dela, numa trajetória diferente. Quando vi, estava em primeiro de novo. Foi incrível disputar com elas”.

Fernando Fernandes (Adventure Masculino)
“Hoje foi velejo no quintal de casa, já que moro na Taíba, mas as vezes o quintal de casa é traiçoeiro. A maré estava alta e com muitas ondulações, vim batendo o tempo todo e muitas vezes passou o pensamento de sair da água, mas a vontade de seguir foi mais forte. É Sertões, é rally e não é fácil. E enquanto eu aguentar, vou seguir”.

XP Sertões Kitesurf
DIA 1 – 12/9 – ETAPA AERIS

Elite/Pro – 125 KM – Caucaia (Cumbuco/Kite Cabana) -> Trairi (Guajiru/GKC)
Adventure/Master/GranMaster/ProWing/ProJr – 65 KM – São Gonçalo do Amarante (Pecém) -> Trairi (Guajiru/GKC) 

Resultados/Classificação geral

Pro Masculino
1) Yaron Moura        2h56min07
2) Alex Neto        3h01min34
3) Gerlano Torres    3h07min10

Pro Feminino
1) Julieta Biasotti (ARG)    3h47min09
2) Bia Silva         3h47min31
3) Gaby Reynard

Elite
1) Bruno Simão        3h41min44
2) Pedro Mantovani    3h48min49
3) Emmanuel Nóbrega    3h55min30

Pro Jr.
1) Kauan Esmerino
2) Pedro Morais    1h51min28
2) Lukinhas Maciel    3h36min52

Adventure Masculino
1) José Carlos Sanabio Júnior (Júnior Pipoca)
2) Marcos Botelho    1h49min08
3) João Gurgel        1h49min21

Adventure Feminino
1) Bela Furtado        2h00min06
2) Aysu Bilgin (TUR)    2h22min44
3) Andressa Monteiro    2h23min27

Master
1) Eduardo Botelho    1h59min54
2) Ricardo Claudino Garcia    2h33min55
3) Manoel Alencar    2h36min26

Master Feminino
1) Cândida Liberato    2h17min27

Grand Master
1) Adriano Lopes    1h58min07
2) Fernandinho Moreira    1h59min11
3) Philippe Cardis (SUI)        2h15min48

Wing Masculino
1) Thomas Floricke    1h55min50
2) Levi Lenz        1h59min30
3) Zé Sampaio        3h13min40

Wing Feminino
1) Letícia Lazzari    2h22min41

DIA 2 – 13/9

Todas as Categorias – 95 KM – Trairi (Guajiru/GKC) -> Itarema (Ilha do Guajiru/Locanda)
Descrição: Prova de velocidade. Percurso completamente downwind.  Na gíria da tribo:  É “bico pra baixo”.