Coluna da jornalista Raquel Cruz – direto da França

1
827

 cruz



*RAQUEL CRUZ Jornalista catarinense, amante do mar e do esporte. Atuou na comunicação da etapa brasileira da Volvo Ocean Race 2014-2015, Transat Jacques Vabre (edições 2013, 2015 e 2017) e 1ª Semana da Vela de Itajaí. Foi repórter esportiva e voluntária na Associação Náutica de Itajaí. Atualmente, cursa pós-graduação em Gestão Digital pela Université de Paris X – Nanterre, França, de onde acompanha as principais regatas de oceano do circuito europeu.




Contato: raquelcruz@outlook.com
Twitter: @_raquelcruz



Hora de encarar o Everest

Salve, salve leitores do Regata News! Sou jornalista catarinense em solo francês e inauguro esse espaço com a intenção de compartilhar minhas impressões e novidades em torno da vela e dos esportes náuticos aqui na Europa – inclusive sobre os brasileiros que vêm competir do lado de cá da Linha do Equador. Se você tiver alguma sugestão de pauta ou quiser deixar um comentário, sinta-se à vontade para fazer contato. Então, vamos em frente…



Faltando três semanas para a largada da Vendée Globe, volta ao mundo em solitário sem escala e sem assistência, esse é o assunto do momento por aqui. Afinal, não é todo dia que velejadores de quatro continentes se lançam na prova conhecida como o “Everest dos mares”. Para ser mais precisa, a regata acontece de quatro em quatro anos e é uma tremenda sorte estar na França, ponto de partida e chegada, justamente nesse período.

Um skipper, em especial, tem roubado a cena. Ele é o primeiro velejador da história do Japão e o único asiático a encarar o desafio. Não fala inglês, tampouco francês, mas o que não comunica em palavras, compensa na originalidade. Kojiro Shiraishi, de 48 anos, é skipper do barco “Spirit of Youkoh” (Espírito de Yukoh), veleiro batizado com o nome de seu treinador, Yukoh Tada, após se suicidar enquanto disputava a Velux 5 Oceans Race.

Kojiro destoa dos demais não só pela história de seu barco ou por estar sempre acompanhado de seu assessor de imprensa bilíngue para poder se comunicar. Há cinco anos, quando se preparava para a edição de 2012 da Vendée Globe, foi obrigado a adiar o sonho depois de seu país ser devastado pelo terremoto que desencadeou o tsunami e o acidente nuclear Fukushima.

Hoje, ele recebe o apoio da Federação Japonesa de Vela com a proposta de desenvolver o esporte no Japão e conta com doações através de uma campanha de financiamento coletivo que circula pela internet. Kojiro não veio por acaso. Fiquem de olho no japonês!

A mais emblemática regata da atualidade começa no dia 6 de novembro e a partir de hoje (quinta-feira, 13), os skippers estarão em Sables d’Olonne, cidade de onde irão largar dentro de poucos dias. Vou acompanhar os passos deles e convido você, leitor, a soltar a última amarra e pular a bordo comigo!




 

Tem uma sugestão? Entre em contato comigo pelo e-mail: raquelcruz@outlook.com

Vez ou outra, também compartilho novidades no meu Twitter: @_raquelcruz




Coluna 1 – 13/10/016

Comments are closed.