Frio chega a Santa Catarina com força total, e sensação térmica atinge -15°C na Serra

0
155

 

Slide1Depois de um mês de calor fora de comum, com máximas de até 38°C, os catarinenses puderam sentir a mudança brusca no tempo. Houve registro de vento, chuva, geada e muito frio e ainda há previsão de neve nos próximos dias. O inverno começa em 21 de junho, mas o frio intenso já está marcando presença com força total. Nesta madrugada, houve chuva congelada nas áreas mais altas da Serra. A temperatura mínima mais baixa do Brasil ocorreu em Bom Jardim da Serra: -0,8°C. A sensação térmica chegou a -15°, segundo a Epagri/Ciram. O frio promete ser ainda mais intenso na madrugada desta quinta-feira, com mínima de até 6°C abaixo de zero.

 

 
Em Urupema, no Morro das Torres, a temperatura mínima registrada durante a madrugada foi de -0,3ºC. O Morro das Torres é o ponto mais alto do município, com cerca de 1.750 metros de altitude. No loca, a paisagem e as torres de comunicação ficaram cobertas de gelo devido à combinação de umidade, vento forte e temperaturas negativas.

Slide4

 

A metereologista da Epagri/Ciram, Gilsania Cruz, explicou que a mudança no clima acontece devido a uma massa de ar frio, de origem polar, que avança da Argentina e favorece a diminuição mais acentuada na temperatura. “Não descartamos a possibilidade de neve nas áreas altas do Planalto Sul. Quinta e sexta-feira, o Estado será marcado por geadas em grande parte do Oeste ao Planalto, e de forma mais isolada nas regiões do Vale do Itajaí e Litoral, com temperatura mínima próxima de 0°C e negativa nas áreas mais altas, podendo chegar a -6ºC no Planalto Sul. Serão dias de muito frio, com características de outono/ inverno”, disse.
Gilsânia informou que o mar também estará agitado, com possibilidade de ressaca. Toda a ondulação mais alta está associada ao ciclone extratropical que está se intensificando próximo ao Litoral do Uruguai e do Rio Grande do Sul.
Nesta madrugada, em Dionísio Cerqueira, no Extremo-Oeste, foi registrado 5°C. Tangará, no Meio-Oeste, marcou 2,1°C. Em Água Doce, no Oeste, os termômetros marcaram 1,2°C. Já em Rio Negrinho, no Planalto Norte, foram 5,3°C. Em Florianópolis, a mínima foi de 11,8°C, Joinville foi de 11,9°C e Urussanga teve mínima de 9,7°C. Confira a tabela com informações sobre a temperatura nos municípios.

Slide2

 

 

Fenômenos


 

Com chegada do frio, a Defesa Civil do Estado está alerta aos fenômenos relacionados ao tempo. O secretário adjunto do órgão, Rodrigo Moratelli, explicou que, com a chegada do frio, após dias de muito calor, uma série de problemas pode ocorrer.
“Os danos podem ser gerados pelos ventos, pela chuva forte, temporais que são alguns dos eventos que antecipam o frio, além do mar agitado. A temperatura fria também traz risco aos grupos vulneráveis, que são as pessoas menos favorecidas. Acompanhamos os boletins meteorológicos e emitimos alertas aos municípios para que possamos prestar um atendimento antecipado à população. Nosso trabalho é 24 horas. Temos que tratar informação e gerenciar ações para que os impactos sejam menores à sociedade catarinense”, disse.
Como orientação, Rodrigo destacou que qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através do telefone de emergência 199, ou ao Corpo de Bombeiros, no número 193.

Recomendações da Defesa Civil SC


 

Geada: agricultores deverão tomar medidas preventivas
Frio: atenção com população mais vulnerável, como moradores de rua, idosos e crianças. Além disso, abrigar animais domésticos nas noites mais frias

Mar agitado: perigo para navegação e atividade de pesca
Ressaca: proteger embarcações e apetrechos de pesca e maricultura. Atenção para edificações, infraestruturas e vias em áreas de vulneráveis à erosão e inundações costeiras
Doenças no inverno
O inverno está associado ao aumento dos casos de doenças, principalmente respiratórias. Conforme a Gerente de Vigilância de Doenças Imunopreviníveis e Imunização, Vanessa Vieira da Silva, no frio, a baixa umidade do ar, as mudanças bruscas de temperatura e o aumento da poluição do ar são motivos de preocupação. A época também provoca queda da imunidade das pessoas, tornando-as mais predispostas a desenvolver doenças, como por exemplo, a gripe, que pode causar a morte.

Slide3

“No frio,


 

as pessoas ficam mais aglomeradas em ambientes fechados, então, orientamos para que abram as janelas e ventilem os ambientes, lavem muito bem as mãos várias vezes por dia e sempre que tossirem ou espirrarem, cubram a boca com lenço descartável ou usem o antebraço. Também não se deve levar a mão aos olhos, nariz e boca. A gripe é uma das grandes preocupações e essas medidas diminuem a circulação do vírus no ambiente, por isso são extremamente efetivas”, relatou.
Conforme a gerente de Vigilância de Zoonozes e Entomologia da Dive, Suzana Zeccer, com a chegada do frio, as pessoas não podem deixar de lado os cuidados e as atitudes de prevenção contra o Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya. “É fundamental continuar com os cuidados para evitar futuras preocupações. O mosquito tem uma diminuição nos períodos menos quentes, porém os ovos que as fêmeas colocam resistem até um ano e meio, ficam depositados nas paredes dos recipientes esperando condições favoráveis, que são água e altas temperaturas para o seu desenvolvimento. É importante que as ações continuem para evitar a proliferação do Aedes aegypti. Todos os dias do ano, esse cuidado deve permanecer”, destacou.

Se você tiver sintomas de gripe:


– Procurar imediatamente um serviço de saúde a fim de buscar tratamento adequado;
– Após o início do tratamento, deve-se evitar sair de casa no período de transmissão da doença (até sete dias após o início dos sintomas);
– Evitar aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados;
– Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:
– Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
– Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
– Mantenha lixeiras tampadas;
– Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
– Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
– Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;
– Mantenha ralos fechados e desentupidos;
– Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
– Retire a água acumulada em lajes;
– Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;
– Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
– Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue.
– Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
– Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para atendimento.




 


*EDIÇÃO DA REDAÇÃO/ EDITORIAL EDITION
*Edição – Adilson Pacheco
MTB: 0002362/SC
E-mail: adilsonpachecoredacao@gmail.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/adilson.pacheco.75
Facebook: https://www.facebook.com/Regata-News-698702346874230/?fref=ts
Issuu: https://issuu.com/regatanew_sc
http://www.dailymotion.com/adilson-pacheco1