Brasil avança às semifinais da Copa do Mundo de Vela

0
43

A Seleção Brasileira de Vela avançou às semifinais da SSL Gold Cup, a Copa do Mundo da Vela, evento disputado em Las Palmas, na Espanha.

A equipe liderada por Robert Scheidt e Martine Grael ficou em segundo lugar na última regata das quartas-de-final nesta quinta-feira (30).

O resultado garantiu o time em primeiro lugar de sua chave com 16 pontos. Em segundo passou a Nova Zelândia, vencedora da prova com pontuação dobrada, com 13 pontos. Ficaram pelo caminho Austrália com 12 e Portugal com 9 pontos.

O Brasil enfrentará no sábado (2) as seleções da Grã-Bretanha, Holanda e Itália. Na outra semifinal disputarão as duas vagas na final os times da Espanha, Nova Zelândia, Hungria e França. A decisão será no domingo (3).

”Agora é uma outra competição na fase semifinal, com apenas uma regata. Vamos velejar um mata-mata no sábado, O time está largando bem e bem determinado. É importante sair com vento livre e deixar as opções táticas para a Martine Grael”, disse Robert Scheidt.

O fator largada da Seleção Brasileira de Vela foi novamente determinante na regata do dia, que foi disputada com ventos na direção norte e de média para forte intensidade. Muita onda novamente na raia das Ilhas Canárias, uma característica local.

A equipe verde e amarela saiu na frente dos adversários e como se diz no esporte, jogou com o regulamento, controlando as nações rivais atrás na tabela. E a cada contorno de boia, o Brasil segurava a vantagem.

Na regata final, os neozelandeses ganharam, e o Brasil chegou atrás num photo-finish de tirar o fôlego contra a Austrália. A estratégia, segundo o bicampeão olímpico Robert Scheidt, foi a de velejar pensando na classificação.

”Não velejamos na defensiva, mas não era preciso vencer a regata. Quando vimos que não daria para ganhar a prova, nos preocupamos com Portugal, que poderia nos tirar a vaga. Defendemos bem a posição numa regata muito apertada. Precisamos melhorar nas manobras, principalmente a subida e descida do balão”, explicou Robert Scheidt.

O time brasileiro tem sido escalado com Alfredo Rovere, Juninho de Jesus, Henrique Wisni, Henry Boening, Gabriel Borges, Mario Tinoco, André Fonseca, Martine Grael e Robert Scheidt. Os suplentes são Gabriel Kieling e Pedro Trouche.

”A gente já esperava que seria uma regata apertada por ser uma prova valendo o dobro de pontos. Agora é descansar, ver os vídeos dos adversários e rever nossos erros e acertos. Na fase final não importa, temos que comer o prato que vier”, brincou o proeiro Alfredo Rovere.

 

Numeração

1 Alfredo Rovere
2 Juninho de Jesus
3 Henrique Wisni Gomes
4 Henry Boening
5 Gabriel Borges
6 Mario Tinoco
7 André Fonseca
8 Gabriel Kieling
9 Martine Grael
11 Pedro Trouche
10 Robert Scheidt

Com semelhança das principais Copas do Mundo em outros esportes, a SSL Gold Cup é um evento de igualdade de oportunidades com barcos SSL47. O barco brasileiro ganhou em 2022 o patrocínio da Sertrading, uma das maiores empresas de comércio exterior do país, e da Subsea 7 S.A., que apoiam o time. Além da marca de mochilas e equipamentos para atividades outdoor Allcatrazes.

A união entre Sertrading e Subsea 7 S.A com a Seleção Brasileira de Vela foi idealizada por Bruno Prada, companheiro de Robert Scheidt nas medalhas de Pequim 2008 e Londres 2012, e CEO do barco brasileiro.

Sobre a SSL Gold Cup

A SSL Gold Cup reúne desde seu início 56 nações entre os membros da World Sailing para coroar a melhor nação da vela a cada dois anos. Em um esporte mecânico em que a corrida pela tecnologia pode atrapalhar a corrida pela glória, a SSL busca uma competição igualitária, em que o talento dos velejadores está na vanguarda, e os campeões se tornam heróis inspiradores de novas gerações. A SSL é um evento especial da World Sailing desde 2017.

Como na Copa do Mundo de futebol, as primeiras rodadas de qualificação selecionam os times que avançam para as fases eliminatórias. Todas as regatas são disputadas com flotilhas de quatro barcos em cada, até as quartas de final. As equipes serão colocadas em chaves, com os oito primeiros colocados garantidos nas quartas-de-final.

Duas flotilhas de quatro competem nas quartas-de-final para selecionar as quatro equipes que participam da única regata da Grande Final.

O vencedor da Grande Final será coroado como a Melhor Nação da Vela. A SSL criou um formato inovador. E os fogos de artifício ao final do evento prometem dar um desfecho dramático para esta incrível competição global.

Mais informações em https://goldcup.starsailors.com/