Jovens velejadores ganham experiência na 2º edição do Festival de Vela de Caraguatatuba (SP)

0
123
Foto: Fred Hoffmann / CBVela

Regatas da competição nacional chega ao fim neste domingo (6)

A 2ª edição do Festival Caraguá de Vela, que está sendo realizada deste sexta-feira (04), tem como objetivo a interação entre as crianças e jovens velejadores com diversos professores do Litoral Norte de São Paulo e organizadores da CBVela – Confederação Brasileira de Vela.

No último sábado (05), a CBVela completou dois dias de regatas, com vento de oito nós. A raia de Caraguá exigiu técnica das classes IQFoil, Dingue, ILCA, Optimist, Hobie 14 e 16, Snipe, Receboard e Fórmula Foil.

As crianças e adolecentes receberam orientações com foco no percurso, regulagem das velas e leitura do vento durante o velejo.

Segundo Walter Boddener, Diretor de Regatas da CBVela, o Festival de Caraguá possui como um dos objetivos ensinar os atletas e deixar um pouco a competição em segundo plano.

“O Festival de Caraguá é uma ótima oportunidade para compartilhar conhecimento. Um dos exemplos, é a montagem de barco! Antes da regata, um atleta disse que o desempenho dele estava abaixo do esperado. Então observamos que a escota dele estava um pouco grossa para o barco e fomos atrás de uma fina. Isso fez diferença, já que o vento não está forte”, explicou.

“Então esse detalhes juntamente com regras e táticas agrega no início da carreira dos velejadores. Aproveitamos que somos os organizadores para ficarmos próximos da juventude e contribuir de alguma forma na carreira deles”, afirmou Walter Boddener, Diretor de Regatas da CBVela.

Matheus Bombini, velejador na competição, contou sobre as conversas e trocas durante o evento.

“Os professores conversam em grupo antes da regata e também monitoram a montagem do barco. Isso ajuda muito porque algumas coisas ainda tenho dúvida, mas já tenho um bom domínio do barco. Estou gostando bastante de velejar aqui em Caraguá”, disse Matheus Bombini, velejador.

Neste domingo (06), às 11h, os velejadores voltam para a raia para o último dia de competição. Além das regatas, a CBVela irá premiar todas as classes participantes.

Apoio à Vela Jovem

A vela brasileira tem como destaque o Núcleo de Base do programa da Confederação Brasileira de Vela – CBVela junto ao Ministério do Esporte pelo Convênio 920223/2022.

O projeto ajuda no fomento à modalidade desde o ano passado. Sede da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela, a Marina da Glória, na capital fluminense, recebe adolescentes entre 13 e 17 anos para treinos visando eventos nacionais e internacionais da Vela Jovem. Outros campings de treinamento foram realizados no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ).

O trabalho leva jovens atletas a se aperfeiçoarem na modalidade, com o propósito de levá-los ao alto-rendimento, incluindo participações em classes olímpicas e pan-americanas.

Sobre a CBVela

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.