Búzios Sailing Week inicia disputa de classes monotipos

0
215
Foto: Caio Souza/ On Board Sports

Competição serve como preparação para receber o Mundial da Juventude, evento da vela jovem mundial que será realizado em Búzios de 8 a 16 de dezembro

A cidade de Búzios (RJ) já está pronta para receber mais um grande evento da vela brasileira: a partir desta quinta-feira (8), o município fluminense realiza a Búzios Sailing Week. A competição nacional de veleiros monotipos será disputada até sábado (10), no Iate Clube Armação de Búzios (ICAB).

Participam das regatas as classes 420, 29er, Snipe, Batera de Búzios, Star, Wingfoil e Dingue, e são esperados de 100 a 130 atletas de diversos Estados do Brasil. Para o campeonato, estão previstas nove regatas, com três largadas por dia.

A única exceção será a categoria 29er, que poderá velejar quatro regatas no dia. Isso porque a classe terá a disputa paralela do Campeonato Sul-Americano dentro da Búzios Sailing Week.

“Estaremos em uma das melhores raias do Brasil, com uma competição referência entre os monotipos. Vamos ter classes vindo bem fortes na disputa, estamos esperando cerca de 60 barcos nas águas de Búzios”, afirma Walter Böddener, gerente de eventos da CBVela.

“É importante que a Búzios Sailing Week volte a acontecer com força, com apoio da prefeitura local, para mostrar todo o potencial da vela no município. Estão todos muito felizes com o retorno do circuito da vela brasileira para a cidade”, completa.

Após a realização das regatas dos barcos de oceano, em abril, a Sailing Week retorna a Búzios e reforça o papel da região como um dos atuais polos da vela brasileira.

Além de reunir tradicionais classes, a competição também será evento teste para a 52ª edição Mundial da Juventude, entre 8 e 16 de dezembro.

“Será uma oportunidade para representantes da Federação Internacional – World Sailing verem de perto um evento sendo realizado em Búzios. Será uma visita técnica in loco para eles acompanharem a competição, o clube, a comissão de regata, as áreas dos barcos, e muitos outros quesitos importantes para que o Mundial da Juventude corra bem”, completa Walter Böddener.

O evento é organizado pela Confederação Brasileira de Vela (CBVela) em parceria com a Prefeitura Municipal da Armação dos Búzios e Iate Clube Armação de Búzios.

Mundial da Juventude será em dezembro

A 52ª edição do Mundial da Juventude será realizada em Búzios (RJ) de 8 a 16 de dezembro de 2023. O evento para velejadores de até 19 anos terá o município como sede pela segunda vez.

Em 2009, o Mundial foi marcado pela primeira conquista internacional de Martine Grael e Kahena Kunze, que ficaram com o ouro na classe 420. O Brasil soma ao todo 16 medalhas na história da competição. A primeira medalha foi obtida por Robert Scheidt na classe Laser em Largs, na Escócia, em 1991.

As regatas do Mundial da Juventude devem reunir mais de 600 atletas e treinadores do mundo todo. A cidade de Búzios (RJ) deve abrigar mais de 900 pessoas durante o campeonato. As classes em disputa serão: ILCA 6, 420, 29er, Nacra 15, Fórmula Kite e iQFoil.

Apoio à vela Jovem

A vela brasileira tem como destaque o Núcleo de Base do programa da Confederação Brasileira de Vela – CBVela junto ao Ministério do Esporte pelo Convênio 920223/2022.

O projeto ajuda no fomento à modalidade desde o ano passado. Sede da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela, a Marina da Glória, na capital fluminense, recebe adolescentes entre 13 e 17 anos para treinos visando eventos nacionais e internacionais da Vela Jovem. Outros campings de treinamento foram realizados no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ). 

O trabalho leva jovens atletas a se aperfeiçoarem na modalidade, com o propósito de levá-los ao alto-rendimento, incluindo participações em classes olímpicas e pan-americanas.

Sobre a CBVela

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.