Vela olímpica: Conheça os representantes do Brasil no Pan 2023

0
117

Neste domingo (4), as últimas vagas da vela brasileira nos Jogos Pan-Americanos de Santiago 2023 foram preenchidas em Arraial do Cabo (RJ) durante a disputa da II Copa Brasil de Vela de Praia.

Os representantes do país nas classes ILCA 6, ILCA 7, Snipe, Lightning e iQFOil saíram após as provas no litoral fluminense organizadas pela CBVela – Confederação Brasileira de Vela.

O campeonato começou no meio da semana e contou com atletas de todo país. Os velejadores da 49er, 49erFX, Fórmula Kite e Nacra 17 já haviam sido confirmados em eventos anteriores.

Os nomes em Santiago 2023 serão: Juliana Duque e Rafa Martins (Snipe), Thomas Summer, Ana Barbachan e Larissa Juk (Lightning), Bruno Fontes (ILCA 7), Gabriella Kidd (ILCA 6), Bruno Lobo e Maria do Socorro Reis (Fórmula Kite), Mateus Isaac e Bruna Martinelli (IQFoil), Marco Grael e Gabriel Simões (49er), Martine Grael e Kahena Kunze (49erFX) e Samuel Albrecht e Gabriela Sá (Nacra 17).

”A equipe brasileira de vela tem nomes de ponta, incluindo campeãs olímpicas e pan-americanas, além de finalistas em eventos internacionais. O grupo é bastante experiente e todos estão em ótima preparação em suas respectivas classes”, contou Marco Aurélio de Sá Ribeiro, presidente da CBVela.

O Pan-Americano de Santiago será realizado de 20 de outubro a 5 de novembro, na raia de Algarrobo, no Chile. Em Lima 2019, o país levou nove conquistas da vela, sendo cinco de ouro, duas de prata e duas de bronze, o que rendeu o título de campeão geral da modalidade.

Como o país já tinha vaga confirmada, faltava agora a definição de quais atletas seriam os representantes nacionais em Santiago 2023. E a Copa Brasil de Praia coroou o catarinense Bruno Fontes. O atual medalhista de prata em Lima 2019 foi o vencedor do campeonato na classe ILCA 7 e representará o país no Pan de Santiago.

”Feliz em representar o Brasil no terceiro Pan da carreira e defender minha medalha de prata. É um orgulho muito grande e vou continuar treinando para buscar o pódio para o nosso País”, disse Bruno Fontes, de 43 anos.

Na Snipe, a dupla baiana Juliana Duque e Rafael Martins fez valer o favoritismo e o repertório de atuais bicampeões nacionais da classe e medalhistas em Lima 2019. Mesmo com uma rotina diária de treinos que inclui campanha olímpica de 470 misto, Ju e Rafa buscaram a vaga em Arraial do Cabo (RJ). ”Muito feliz! É a segunda edição que conseguimos a classificação para o Pan! É um campeonato sensacional e espero que a gente consiga um resultado especial”, contou Juliana Duque.

Na Lightning, após 11 edições, o multicampeão Klaus Bieckarck dessa vez passa o bastão para Thomas Summer, que terá a atleta olímpica Ana Barbachan e a experiente Larissa Juk a bordo. Já na IQFoil, Bruna Martinelli surpreendeu Giovanna Prada e venceu a seletiva.

Parte dos atletas participam de eventos internacionais apoiados pelo termo de fomento à vela olímpica com parceria da CBVela. O objetivo é a preparação da Equipe Olímpica Principal de Vela e participação nos campeonatos internacionais. O número do convênio é 930972/2022.

Classificados

Snipe
Juliana Duque e Rafa Martins

Lightning
Thomas Summer, Ana Barbachan e Larissa Juk

ILCA 7
Bruno Fontes

ILCA 6
Gabriella Kidd

Fórmula Kite
Bruno Lobo
Maria do Socorro Reis

IQFoil
Mateus Isaac
Bruna Martinelli

49er
Marco Grael e Gabriel Simões

49erFX
Martine Grael e Kahena Kunze

Nacra 17
Samuel Albrecht e Gabriela Sá

Apoio à vela Jovem

A vela brasileira tem como destaque o Núcleo de Base do programa da Confederação Brasileira de Vela – CBVela junto ao Ministério do Esporte pelo Convênio 920223/2022.

O projeto ajuda no fomento à modalidade desde o ano passado. Sede da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela, a Marina da Glória, na capital fluminense, recebe adolescentes entre 13 e 17 anos para treinos visando eventos nacionais e internacionais da Vela Jovem. Outros campings de treinamento foram realizados no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ).

O trabalho leva jovens atletas a se aperfeiçoarem na modalidade, com o propósito de levá-los ao alto-rendimento, incluindo participações em classes olímpicas e pan-americanas.

Sobre a CBVela

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.

Foto: Gabriel Heusi