Canoístas se superam em Desafio Salvador – Morro de São Paulo

0
139

Sexta edição foi realizada neste fim de semana e teve um percurso de 60 quilômetros

A superação foi a marca da sexta edição do Desafio de canoagem Salvador – Morro de São Paulo realizado neste sábado (11) com mais de 170 atletas. A prova foi aberta às canoas polinésias VA’A e os caiaques oceânicos e largou do Yacht Clube da Bahia, organizador do evento.

Com um percurso de 60 quilômetros em mar aberto, os atletas testaram seus limites em mais de cinco horas remando sem parar. A condição da prova foi de vento fraco na direção sudeste, levemente lateral, o que fazia com que os atletas remassem de um lado só.

O calor do verão baiano logo às 7h também aumentou as dificuldades e corou os vencedores, com destaque para a dupla de surfski Washington Igor Santos Cruz e Carmen Lúcia da Silva, que foi Fita-Azul, ou seja, a primeira chegar ao Morro de São Paulo, na Ilha de Tinharé, no Arquipélago de Cairu. Os dois completaram o desafio de canoagem em 5h48min37.

”Acredito que fizemos uma prova muito mais física comparada com ano passado. Nessa edição, teve uma ondulação de traves, que favorece para nossa embarcação. Então essa prova atingiu 100% minhas expectativas.”, disse Carmen Lúcia.

“Durante toda prova o objetivo era fazer um percurso em linha reta e navegando. Das minhas três participações essa eu senti muita competência da minha parte. Estou muito feliz de atingir a meta e em particular foi uma cereja no bola conquistar a Fita-Azul”, afirmou.

Na edição de 2022, Carmen chegou na segunda colocação geral juntamente com Luciano Conde. Desta vez, ela foi a primeira mulher na história do Desafio a levar a Fita-Azul.

“Quando estava chegando, eu percebi que seria a primeira mulher a completar a prova na liderança e levar a Fita-Azul. Essa conquista também era o sonho do meu colega de treino Adelson Jordão, que faleceu alguns anos. Isso despertou a vontade de fazer a dupla com Igor. Estou realizada e muito feliz de concretizar esse sonho”, finalizou.

Na surfski simples, o vencedor foi José Marcos Mendes Filho, e no feminino Heloisa Helena Correa. Na categoria V1, Robert Almeida foi o melhor, assim como o sexteto da Gamboa Va’a faturou na OC6.

A prova é considerada o maior do país sem revezamento e recebeu os principais nomes da modalidade. Mas a grande parte dos participantes é amadora, muitos inclusive fazendo o trajeto de 60 quilômetros pela primeira vez. A linha de corte foi de 10 horas.

Foto: YCB

”O calor da Bahia foi um dos principais desafios, mesmo assim a disputa foi grande. Muita gente nova fazendo a travessia em mar aberto pela primeira vez, o que exigiu atenção da organização. Atendemos prontamente os atletas que desistiram ou que tiveram algum problema no percurso”, disse Luis Eduardo Pato, Gerente Geral de Esporte e Lazer do Yacht Clube da Bahia.

”Disponibilizamos dez embarcações do Yacht Clube da Bahia para acompanhar todo o percurso. Além de lanchas e motos aquáticas para dar todo suporte na largada e chegada. Além dos aspectos técnicos e esportivos, o desafio teve um enorme potencial turístico”.

O recorde do Desafio de canoagem Salvador – Morro de São Paulo segue de 4h54min. A marca foi feita pelo time Heenalu Roots Club em 2019.

Na chegada em Morro de São Paulo a organização montou uma estrutura de alto nível para receber os atletas e seus acompanhantes. O evento foi a prova final do circuito organizado pelo YCB, que incluiu o Desafio de Cachoeira – Salinas , de 40 km em rio sem revezamento. A etapa foi em janeiro deste ano. O outro foi o Circuito Desafio Yacht de 20km.

Mais informações em https://www.desafioyacht60km.com.br/