Representatividade feminina na Escolinha de Triathlon

0
48

A cena que se observa hoje nos treinos frenéticos de “nada, pedala, corre” é bem diferente daquela de alguns anos atrás.

Um número cada vez maior de meninas, de todos os biotipos, ocupa o mesmo espaço dos garotos, mostrando que podem ser tão fortes quanto eles.

Na Escolinha de Triathlon Formando Campeões, em Curitiba, a força feminina está não só na turma de alunos como também na equipe de professores.

Dos seis núcleos da Escolinha mantidos em espaços da Prefeitura de Curitiba, quatro são comandados ou contam com o apoio das mulheres.

No núcleo Oswaldo Cruz, os treinos são dados pela professora Jéssica Rodrigues e a estagiária Paola Cordeiro.

A professora Vera Penteado está à frente do núcleo Santa Felicidade. E as estagiárias Alice Tinelli e Maiara Aguiar auxiliam os professores dos núcleos Boqueirão e CIC, respectivamente.

“Como atleta, sempre treinei com homens, porque eram a maioria. E já escutei que era um absurdo mulheres estudarem Educação Física, porque elas não sabem ensinar esporte. Isso faz só dois anos”, conta a professora Jéssica Rodrigues.

“Mas houve um aumento significativo de mulheres de todas as idades no triathlon, tanto atletas como professoras. Já provamos que nossa capacidade é a mesma dos homens.”

Inspiração feminina

A representatividade é fundamental para levar mais meninas ao triathlon. Na Escolinha de Triathlon Formando Campeões, a responsabilidade das professoras vai além dos ensinamentos de técnicas de natação, ciclismo e corrida.

Elas querem ser exemplo para as meninas, e mostrar que as triatletas mirins podem ocupar o seu próprio lugar no esporte e na sociedade.

“As professoras são inspirações. Ver cada uma delas comandando e tendo o respeito de uma turma em que, às vezes, boa parte é do sexo masculino me faz ter certeza que podemos ir muito além com nossas vozes”, destaca a estagiária Paola Cordeiro.

Para a professora Vera Penteado, os treinos de triathlon contribuem também com a autoestima das garotas.

“O esporte nos transforma em vencedoras. Aprendemos a ser mais fortes e ter alta performance no esporte e na vida.”

Diferenças do treino para meninas

As meninas suportam uma intensidade e volume de treinos parecido com o dos meninos. É na puberdade, quando as meninas apresentam mudanças hormonais e fisiológicas, que elas requerem maiores cuidados nos exercícios físicos.

Durante o período menstrual, elas também podem ter uma queda de rendimento, necessitando de adaptações no treinamento. Com as professoras, elas acabam formando uma ligação mais emocional, que vai além da relação educador-aluno.

“As alunas se aproximam da professora. Prestam atenção no modo como ela amarra o cabelo, ou a blusa”.

”E acabam conversando sobre assuntos pessoais que não falam com a mãe. Nós sempre buscamos orientar, ajudar na relação com a família e incentivar o diálogo em casa”, conta Jéssica.

“Nós sabemos o nosso potencial, e buscamos mais visibilidade. Para que haja maior igualdade entre o número de atletas é necessário que as meninas que estão em destaque influenciem outras a continuarem treinando e se dedicando”, arremata Paola.

Igualdade de gêneros na Escolinha de Triathlon

A preocupação da Escolinha em apoiar o empoderamento das meninas e mulheres está alinhada com os Objetivos de Desenvovimento Sustentável da ONU.

Os chamados ODS são uma coleção de 17 metas globais, estabelecidas pela Assembleia Geral das Nações Unidas, como parte da Agenda 2030. Abrangem questões de desenvolvimento social e econômico, incluindo a igualdade de gênero, colocado como o quinto objetivo.

Formando Campeões

A Escolinha de Triathlon Formando Campeões, iniciada há cinco anos em Curitiba (PR), é hoje um modelo de formação da modalidade no País.

Idealizado pelo atleta olímpico curitibano Juraci Moreira, contempla cerca de 580 crianças e adolescentes em 13 núcleos espalhados por Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Distrito Federal e Ceará.

O Paraná conta com sete núcleos, seis deles em espaços mantidos pela Prefeitura Municipal de Curitiba: Boqueirão, Centro, CIC, Cajuru, Boa Vista e Santa Felicidade, em espaços mantidos pela Prefeitura de Curitiba. Juntos, os seis núcleos atendem 240 alunos.

As crianças contam com todos os equipamentos necessários e são treinadas por especialistas na modalidade.

A Escolinha de Triathlon Formando Campeões é viabilizada pela Lei de Incentivo ao Esporte, programa da Secretaria Especial do Esporte, Ministério da Cidadania e Governo Federal com a execução da Federação Paranaense de Triathlon, com apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba. A Volvo é a patrocinadora exclusiva do projeto nos núcleos da prefeitura.