Triathlon ameniza impactos do isolamento social para crianças e adolescentes

0
68

Ansiedade e estresse também são sentimentos comuns entre as crianças e adolescentes, durante a pandemia de coronavírus.

Para combater o impacto gerado pela falta de convívio com pessoas da mesma faixa etária, em Campinas, São Paulo, a família de Rebeca Alessandra Leite de Oliveira, de 13 anos, apostou no triathlon.

Deprimida devido ao isolamento social e a falta de atividades, Rebeca foi inscrita na Escolinha de Triathlon Formando Campeões.

Referência na formação das categorias de base do esporte, o projeto dá a alunos de escolas públicas entre 8 e 16 anos a chance de praticar um esporte olímpico com estrutura profissional, de forma gratuita.

“Ela era muito tímida, quieta. E estava muito sozinha em casa. Logo no começo, ficou com um pouco de medo porque estava sedentária”.

”Mas acabou gostando muito de participar”, conta a mãe, Marta Alessandra de Souza Leite. “Agora é bem mais ativa, comunicativa e dedicada aos treinos.”

Além do comportamento, a sensação de ansiedade e tristeza pelo isolamento também diminuiu, graças à endorfina liberada pelos exercícios.

O entusiasmo pelo esporte foi tanto que Rebeca passou a treinar também em casa, colocando em prática o que aprende nas aulas na Escolinha de Triahtlon.

Ela mesma monta, com os cones comprados pela mãe, o circuito para as manobras de bike. E também coloca o irmão e os primos para se exercitar ao seu lado.

“Hoje a Rebeca é, disparado, uma das nossas melhores alunas. É uma das mais dedicadas, uma menina bem especial”, elogia o treinador Luiz Henrique Castilho.

As aulas em Campinas são dadas na Lagoa Taquaral, no Parque Portugal.

Observando todas as normas referentes à pandemia de coronavírus, as turmas são divididas em grupos pequenos, com distanciamento social, uso de máscaras e álcool em gel. Enquanto a piscina permanece fechada, os treinos seguem focados no ciclismo, corrida e duathlon.

Formando Campeões

A Escolinha de Triathlon Formando Campeões, iniciada há cinco anos em Curitiba (PR), é hoje um modelo de formação da modalidade no País.

Idealizado pelo atleta olímpico curitibano Juraci Moreira, contempla mais de 500 crianças e adolescentes em 11 núcleos espalhados pelo Paraná, São Paulo e Ceará.

Em Campinas, os alunos têm aulas de triathlon englobando as três modalidades do esporte (natação, ciclismo e corrida), duas vezes por semana.

As aulas, com duas horas de duração, são dadas duas vezes por semana para turmas de 10 alunos, de terça a sexta-feira pela manhã, das 9 às 11 horas, e à tarde, das 15 às 17 horas.

A Escolinha de Triathlon Formando Campeões é viabilizada pela Lei de Incentivo ao Esporte, programa da Secretaria Especial do Esporte, Ministério da Cidadania e Governo Federal com a execução da APANI SEME-Itu e apoio da prefeitura de Campinas.

Os patrocinadores são ABL Antibióticos do Brasil, SulAmérica, Astra e Japi.