Blog do Repórter Adilson Pacheco

0
78

 

Bem vindo a bordo do Blog do Repórter Adilson Pacheco

Edição de 10/1/2021


Pergunta do dia : Ciclista acha que bicicleta não é veículo, ele simplesmente não  obedece sinais de trânsito e sinaleira!


Nossa homenagem  do dia

HORÁCIO CARABELLI – ANIVERSARIA HOJE – DIA 10

Horacio Carabelli – Foto: Adilson Pacheco/RN

 


SALA DE REDAÇÃO

 

 


Entrevista

Velejador Claudio Copello fala sobre atividade náutica

 

Retrospectando Semana de Vela de Ilhabela 


>>ANOTAÇÕES DO REPÓRTER

ESQUIVA FALCÃO FAZ SPARRING COM CAMPEÃO MUNDIAL ANTES DE LUTA NOS EUA

O brasileiro Esquiva Falcão segue com treinos intensivos em Riverside, nos Estados Unidos, visando seu próximo combate como profissional, marcado para 20 de fevereiro, contra o russo Artur Akavov.

O combate na categoria dos médios será em Las Vegas, nos Estados Unidos, com todo o protocolo de segurança contra COVID-19 exigido pelas autoridades locais.

Sob o comando de Robert Garcia, o medalhista olímpico faz sparrings contra adversários de alto nível, como o porto-riquenho Carlos Adames e o norte-americano Anthony David Benavidez, que tem dois cinturões mundiais em categorias diferentes.

A preparação segue intensa com dois treinos diários, incluindo atividades aeróbicas e de musculação.

O atleta está próximo de entrar no peso para o combate, que será no máximo combinado de 162 libras ou 73.48kg.


Yannick Bestaven vence a Vendée Globe 2020

O francês Yannick Bestaven venceu a Vendée Globe 2020 nesta quinta-feira (28).

O velejador de 48 anos do Maître Coq IV não foi o primeiro a cruzar a linha de chegada, mas faturou a volta ao mundo em solitário no tempo corrigido

O IMOCA chegou a Les Sables d’Olonne, na França, na madrugada da quinta-feira em terceiro lugar.


De primeira mão –

 


Brasil amplia número de representantes na World Sailing

Nunca antes o Brasil esteve tão representado dentro da Federação Internacional de Vela – a World Sailing.

A composição de nomes dos comitês, sub-comitês e comissões da World Sailing para o período 2021-2024 vem com uma forte presença de representantes do Brasil, algo que não acontecia tão expressivamente em períodos recentes.

Isto é significativo não só pelo número, mas principalmente pela relevância dos postos ocupados, todos eles em lugares estratégicos.

Para esse quadriênio todos os seis indicados pela CBVela foram, após análises e processos internos da World Sailing nomeados:

RICARDO NAVARRO: COMITÊS DE OFICIAIS DE REGATA (COMO PRESIDENTE) E JOGOS REGIONAIS

NELSON HORN ILHA: SUB-COMITÊ DE REGRAS DE EQUIPAMENTO

JUAN SIENRA: COMITÊ DE EQUIPAMENTOS

RICARDO LOBATO: COMITÊ DE REGRAS

SAMUEL GONÇALVES: COMITÊ DE DESENVOLVIMENTO

WALTER BODDENER: COMITÊ DE EVENTOS E COMISSÃO DE TÉCNICOS

Dessa forma, a CBVela se fará representar na World Sailing em 7 comitês e uma comissão.

É um número inédito na história da vela brasileira e representa um reconhecimento do mundo da vela ao trabalho desenvolvido aqui no Brasil, não só do lado esportivo, mas técnico e administrativo do esporte

 


America’s Cup: Definidas as datas das finais da Prada Cup

As finais da Prada Cup estão definidas e serão realizadas neste mês de fevereiro.

O italiano Luna Rossa Prada Pirelli venceu todos os matches contra o American Magic e agora pega os britânicos do INEOS Team UK. No Luna na equipe técnica esta Horácio e Nicolas Carabelli.

As provas a bordo dos AC75 começam no dia 13 de fevereiro em Auckland, na Nova Zelândia.

O sindicato que fizer sete vitórias ganha o direito de ser o desafiante ao trono do Emirates Team New Zealand na America’s Cup.

Na fase de grupos, os britânicos venceram todos os matches contra os italianos, que tem o brasileiro/uruguaio Horácio Carabelli como chefe de equipe.

Já nos treinamento, os ingleses de Sir Ben Ainslie perderam todas.

O Emirates Team New Zealand é o atual da America’s Cup, pois em 2017 derrubou o trono do ORACLE USA, de Jimmy Spithiil, hoje no Luna Rossa.

A AC é o evento esportivo com mais tempo de duração no mundo e é disputado de quatro em quatro anos.

Como manda a regra, o vencedor escolhe o modelo de barco, as regras e o local das regatas.

 


 



Brasil com Barco nacional da Copa das Velas: Ocean Race

 

A SCB Brasil Esporte Náutico esta com seu cronograma de ação – na busca de  parceiros para o projeto brasileira na Ocean Race, a primeira vez que o Brasil esteve uma Ocean Race =- foi na edição 2005/06 com o Brasil 1 capitaniado pelo Torben Grael – o time terminou em terceiro lugar.


 32º Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina

O dia foi movimentado no dia 30, – onde  foi conhecido os   campeões  do  32º Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina após quatro dias de competição em Jurerê, na Sede Oceânica do Veleiros da Ilha. Em uma semana com todos os tipos de condição e temperatura, as tripulações foram testadas ao extremo em um evento técnico e que contou com a presença de alguns dos melhores velejadores do país

Como previso, as boas disputas deixaram para o sábado a definição dos campões nas sete classes. Na IRC, o Xamã confirmou o título com 6 pontos perdidos, à frente do Crioula, vice-campeão, e Salvo Conduto, terceiro colocado. Na ORC, o Catuana Kim, do Iate Clube de Santa Catarina, confirmou o título também com 4 pontos perdidos, vencendo todas as regatas do programa. O vice-campeonato da classe foi para o Santa Fé e o terceiro para o Dourado.

 NA CLASSE C30, como sempre as regatas foram muito disputadas e o resultado foi conhecido apenas na última disputa de barla-sota. O Caballo Loco confirmou o título com 12pp, mesma pontuação do Corta Vento (ICSC), vice-campeão, após desempate. O terceiro lugar também foi definido por critérios de desempate, com o  Katana/Portobello em terceiro lugar o Zeus em quarto, ambos do Veleiros da Ilha.

 NA RGS, o Bruxo conquistou mais um título para o Veleiros da Ilha com campanha invicta na classe, vencendo todas as regatas. Dona Bola, em segundo, Split, em terceiro, completaram a flotilha. Outro catarinense que também confirmou a vitória no 32º Circuito Oceânico foi o Terra Firme, campeão na RGS Cruzeiro à frente do Mako IV (2º) e Nimbus (3º).