The Ocean Race2010/20 – Não foi surpresa

0
124

 

# jornalista Solange Fusco*

O olhar visionário dos governantes, empresários, velejadores e amantes da vela foram decisivos para que, há 10 anos, Itajaí entrasse definitivamente para a elite da vela mundial.

https://issuu.com/regatanew_sc/docs/rn_10_anos_vor.pub

Eu estava lá no Castelo Montemar acompanhando o CEO da Volvo Ocean Race na época,  Knut Frostrad, quando foi divulgada a esperada notícia da escolha de Itajaí para a seleta rota das cidades hosts para a Volvo Ocean Race 2011-2012.

Uma conquista extraordinária diante da concorrida disputa para sediar uma das etapas da Volvo Ocean Race, a maior regata do planeta. Passaporte para notoriedade e visibilidade internacional, lado a lado dos grandes cenários náuticos do mundo

CEO da Volvo Ocean Race, Knut Frostrad/ Foto Nelson Robledo

Desde então, a capital da Costa Esmeralda, nunca mais saiu da rota da prova, o olimpo da vela com seus investimentos milionários, barcos de última tecnologia e com a empolgante participação dos maiores nomes do iatismo, incluindo alguns dos nosso ícones da vela mundial.

Era abril de 2010 e como responsável pela Comunicação Corporativa do Grupo Volvo na América Latina, cargo que ocupei até recentemente, tive o privilégio de acompanhar as três edições da etapa brasileira em Santa Catarina. Posso testemunhar a transformação realizada para que Itajaí fosse reconhecida como uma das paradas modelo e a mais elogiada pela organização da regata, em Alicante, na Espanha.

Tive o privilégio, em nome da Volvo, não apenas de promover a regata e através dela contribuir para a popularização da vela brasileira, como também ter exercido o papel de embaixadora da parada de Itajaí para a organização mundial e vice-versa. Lembro bem que, no início, não se tinha ideia da complexidade e magnitude da logística da regata. Da quantidade de contêiners repletos de equipamentos que desembarcariam no porto. Da dimensão da infraestrutura necessária para receber os barcos. Do contingente de pessoas que chegariam antes das tripulações, falando diferentes idiomas. Da força da mídia que coloca a regata entre os eventos de maior visibilidade mundial. Mas nada que atemorizasse a determinação, o profissionalismo e o entusiasmo dos organizadores e apoiadores da única parada sul-americana.

Missão dada, missão aceita e realizada com paixão e excelência pelos times organizadores, respaldados pelo suporte das autoridades, empresários, engajamento da mídia e de todos os segmentos do comércio e da sociedade. A cidade, diga-se de passagem, se encheu de sorrisos. A simpatia dos catarinenses e, sem dúvida alguma, de toda a comunidade local que tomou para si, um pouquinho do papel de anfitriã do evento, deu cor e calor especial à prova.

Unidos e convictos das oportunidades e da exposição que a famosa regata traria à região, não pouparam investimentos e esforços para atender às rigorosas exigências do evento: da organização e atrativos para a Vila da Regata, aos investimentos na rede hoteleira até a profissionalização de serviços. Investimentos que fortaleceram a vocação natural da região para o turismo e foram essenciais para atrair novos eventos de grande porte. Além de conquistar vários prêmios como melhor destino turístico, mostrando também a força da região na atração e geração de negócios. Os resultados e impactos na economia do estado e na comunidade local foram igualmente impressionantes.

Assim, não foi surpresa, que em abril de 2018, ao fechar os portões do Centro de Exposições de Itajaí, que durante duas semana foi palco do maior evento náutico do mundo, fossem contabilizados 440 mil visitantes, batendo o seu próprio recorde de público e superando cidades hosts do mundo inteiro com grande tradição no iatismo. E recebesse, mais uma vez, o concorrido certificado de “Conscientização Ambiental”, graças às importantes iniciativas de proteção ao meio ambiente. Feitos memoráveis que credenciaram com honra a nossa Itajaí para receber novamente a mais temida e emocionante regata do planeta, agora denominada, The Ocean Race.

Nos vemos em abril de 2022.

Até lá, bons ventos para  todos nós!


  • Quem é Solange Fusco

Precursora de ideias e práticas inovadoras em comunicação empresarial, tem como maior ativo o direcionamento estratégico da comunicação interna e externa. Com uma bagagem robusta em comunicação empresarial foi responsável pela gestão da comunicação corporativa do Grupo Volvo América Latina por 20 anos onde idealizou e implantou diversos projetos de cultura e engajamento interno, que influenciaram para que a empresa seja considerada uma das melhores para trabalhar no país.

Na comunicação externa conduziu diversos projetos que promoveram os valores da companhia como líder em mobilidade, segurança, conectividade e sustentabilidade no setor de transportes. E fortaleceram a empresa com gestão em princípio de valor compartilhado, com destaque no Guia Exame Sustentabilidade nos últimos quatro anos.

Profissional respeitada no mercado recebeu os principais prêmios e reconhecimentos do setor por seus trabalhos e projetos, incluindo o Prêmio Opinião Púbica, conferido pelo CONRERP, o IPRA Golden Award, Internacional Public Relations Association, Profissional do Ano pela ABERJE – Associação Brasileira de Comunicação Empresarial e o Top Mega Brasil.

Formada em Relações Públicas pela UFPR, possui MBA em Marketing, Gestão de Pessoas e Negócio e conta com experiência internacional na sede do Grupo Volvo na Suécia além da participação em vários projetos globais da empresa.

É Diretora do Capítulo ABERJE-PR, membro fundadora do MEX- Espaço da Mulher Executiva do PR, Membro da ADVB-PR e do LiderCom da ABERJE nacional.