São Paulo – Star Sailors League é o próximo desafio de Robert Scheidt

0
58

fsdf

São Paulo – As cinco medalhas olímpicas e os 14 títulos mundiais de Robert Scheidt confirmaram, logo no primeiro ano de existência da Star Sailors League (SSL), a força da liga criada pelos próprios velejadores da classe Star. Ao lado de Bruno Prada, o bicampeão olímpico da Laser venceu a edição inaugural da SSL Finals em dezembro de 2013, em Nassau. Neste ano, Scheidt estará de volta às Bahamas entre 28 de novembro e 4 de dezembro em busca do segundo título.

Depois da quarta colocação na Laser nos Jogos Rio 2016, Scheidt terá a oportunidade de retornar à classe que lhe rendeu duas medalhas olímpicas e três títulos mundiais. “Acho que será um campeonato diferente em relação ao que fizemos em 2013, quando eu e o Bruno vínhamos de um ciclo olímpico. Velejei pouco de Star nos últimos três anos e preciso recuperar o ritmo”, considera Scheidt que neste ano correrá ao lado de Henry Boening, o Maguila. O ciclo olímpico de Star culminou com a medalha de bronze para a dupla brasileira nos Jogos Londres 2012.

“Teremos agora em outubro uma semana para treinos intensivos no Rio de Janeiro. Já velejei algumas vezes com o Maguila. É um excelente proeiro e podemos fazer um bom resultado em Nassau”, revela Scheidt que pretende chegar às Bahamas alguns dias antes do início da competição para treinar e fazer os ajustes finais na própria raia onde serão disputadas as regatas com os 25 melhores timoneiros e proeiros da temporada de 2016. Maguila ocupa a 12ª colocação no ranking da SSL.

Diante da necessidade de obter ritmo em período reduzido, Scheidt acredita que poderá contar com situação favorável em Nassau. “Preferimos vento forte e as condições na raia costumam apresentar vento de médio para forte, o que seria ideal para nós. Vamos correr contra velejadores muito bons e tenho a certeza de que esta será uma edição especial da SSL Finals com muitas estrelas mundiais, medalhistas olímpicos do Rio e meus adversários da Laser. Será fantástico e estou super animado”, prevê Scheidt.

No embalo dos Jogos Rio 2016 – O paulista de 43 anos afirma que não é possível apontar apenas um favorito entre tantos velejadores consagrados, mas cita os nomes de timoneiros que considera candidatos ao pódio: Torben Grael, Xavier Rohart (FRA), George Szabo (EUA), Augie Diaz (EUA), Diego Negri (ITA), além dos campeões olímpicos deste ano no Rio de Janeiro, Tom Burton (AUS) na classe Laser e Sime Fantela (CRO), na 470.

“A SSL está ganhando a cada dia mais reconhecimento internacional. O nível dos velejadores confirma a evolução e é muito importante para nós que se torne um evento ainda mais global em favor não apenas da classe Star, mas da vela de uma forma geral”, destaca Scheidt. A SSL Finals distribui premiação geral de U$ 200.000. Além do título em 2013, Scheidt foi quinto colocado em 2014, velejando com Bruno Prada nas duas edições. Boening ficou em quarto lugar em 2014 ao lado de Jorge Zarif.