Raimundo Colombo recebe integrantes do Fórum da Indústria da Comunicação Catarinense

0
267

 

g (1) (1)

O governador Raimundo Colombo recebeu, na manhã desta terça-feira, 26, os integrantes do Fórum da Indústria da Comunicação Catarinense. No encontro, realizado no Centro Administrativo do Estado, Colombo disse que, apesar das dificuldades, o governo conseguirá fechar as contas de 2016, graças ao processo de renegociação da dívida com a União e à reforma da previdência dos servidores, aprovada no fim do ano passado. O secretário de Estado da Comunicação, João Evaristo Debiasi, e o diretor de imprensa da Secom, Claudio Thomas, acompanharam a reunião.

O cenário econômico, de acordo com o governador, é grave. “A arrecadação de julho está sendo a pior da história do Estado. O resultado deve ser abaixo do que foi arrecadado no mesmo mês de 2015”, lamentou Colombo.

O governador reiterou que, mesmo diante do quadro de queda na arrecadação, não pretende aumentar os impostos, porque essa política tem sido benéfica para o Estado e continua atraindo novos investimentos empresariais. “Não adianta o governo ir bem e a sociedade mal”, destacou, ao assegurar que manterá as alíquotas de ICMS incidentes sobre a energia elétrica, combustíveis e comunicações. Colombo lembrou que o governo realiza obras e investimentos em todas as regiões do Estado, em diferentes áreas como saúde, infraestrutura, segurança pública, sistema prisional, educação, inovação e turismo.

Informou que estão quase prontos os estudos para a concessão de algumas rodovias estaduais para cobrir os custos de manutenção, mas não citou quais os trechos previstos para terem cobrança de pedágio.

O governador afirmou que quatro áreas têm problemas com o aumento das despesas de custeio e de pessoal. O sistema prisional, onde foram inauguradas novas unidades neste ano; segurança pública, que chamou mais de mil novos policiais militares e civis e técnicos para o Instituto Geral de Perícias; educação, que recebeu centenas de novos alunos de escolas privadas em razão da crise econômica e a saúde, onde os custos explodiram desde o início do ano. “O déficit da saúde neste ano deve superar os R$ 800 milhões”, projetou, ao advertir que será necessária a revisão de todos os contratos de prestação de serviços nessa área.

Colombo disse que a maior angústia no dia a dia do governo é projetar como irá enfrentar 2017, diante dos atuais cenários, para manter o Estado ativo, dinâmico e contribuindo para o crescimento de Santa Catarina.

Participaram do encontro, realizado no gabinete do governador, o presidente da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão, Rubens Olbrisch, o vice-presidente da Associação dos Diários do Interior, Adriano Kalil, os empresários Raineri Bertoli e Osmar Schlindwein, o diretor-geral da RBS TV, Mário Neves, o diretor-geral de Jornais e Mídia Digital SC, Gabriel Casara, o presidente-executivo do Grupo RIC, Marcelo Petrelli, o presidente da Band-SC, Saul Brandalise Júnior, e o vice-presidente do Grupo SCC e SBT/SC, Carlos Amaral.