“O sonho era ter um barco português na próxima edição”. Knut Frostad, CEO da Volvo Ocean Race

0
153

Alexandre (19Sede mundial da Volvo Ocean Race está com seus dias contados em Alicante, Espanha. Knut Frostad, CEO da Volvo Ocean Race, conversou com sobre a etapa lisboeta, admitindo que a deslocação da sede da competição poderá ser uma realidade, mediante a existência de uma equipa portuguesa.

Edição: Adilson Pacheco
Fonte: Copy: Rui Salvador
http://www.dn.pt/desporto/
Post: 32/05-23:39

Quais são as características da etapa de Lisboa que a torna diferente das restantes cidades/stopovers da Volvo Ocean Race?

Knut Frostad-Lisboa é um ótimo local para se chegar depois de uma travessia pelo oceano Atlântico, que é vasto. Os barcos estão praticamente sempre em alto-mar para depois terminar a etapa mesmo junto à cidade. Além disso, as condições meteorológicas costumam ser muitos boas. Na última edição da Volvo Ocean Race trouxemos a competição pela primeira vez para Portugal e tivemos uma excelente experiência, pelo que estamos cá de novo.

A possibilidade de Portugal se tornar a sede da Volvo Ocean Race, dado que o contrato com a Alicante termina na próxima edição (2017-2018), é real ou apenas um sonho?

Knut – É verdade que existe interesse da cidade de Lisboa e do governo português em receberem de forma permanente a competição. É possível, mas para isso acontecer seria absolutamente necessário que conseguíssemos ter uma equipa portuguesa em prova. Isto porque se queremos estar em Portugal a tempo inteiro, o que gostaríamos de poder fazer, temos obrigatoriamente de ter uma equipa da casa. É preciso criar interesse a toda a linha, não apenas no espaço e na altura em que o evento é realizado.

Quais seriam as melhorias e evoluções que a etapa de Lisboa poderia apresentar já na próxima edição?

Knut- Nós tentamos sempre que exista mais entretenimento e divertimento para o público, sempre com o maior número possível de atividades a aconteceram. Queremos principalmente conseguir ter mais atividades na água e meter o máximo de pessoas dentro de água, porque isso é essencial. Ainda mais importante é que na próxima edição esperamos ter marinheiros portugueses.

Copy: http://www.dn.pt/desporto/outrasmodalidades/interior.aspx?content_id=4599593&page=-1