Dra. Dulci destaca ano positivo, mesmo frustrada com desorganização das provas no Pará

0
92

Advogada paraense competiu no Circuito OAB de Corrida de Rua, com quatro pódios e o título da categoria Advogada Máster. Agora, disputará apenas provas nacionais em 2024

Foram três medalhas de ouro e uma de bronze no 11º Circuito OAB de Corrida de Rua, encerrado neste mês de dezembro, em Belém (PA). A advogada e professora Dulcinele Silva Pessôa, a Dra. Dulci, como é conhecida, termina 2023 comemorando os quatro pódios nas provas por diferentes cidades paraenses, conquistando o título na categoria Advogada Máster (50 a 59 anos). Mas, se o balanço foi mais do que positivo nas corridas, a frustração ficou por conta da desorganização da competição.

“Foi um ano muito positivo, com os resultados, as conquistas das medalhas. Mas, com os problemas enfrentados nas corridas no Pará, eu decidi disputar apenas provas nacionais e que tenham mais credibilidade e organização em 2024”, afirma Dra. Dulci, formada há 26 anos e que está à frente do Escritório de Advocacia Dulcilene Pessôa.

Desorganização, aliás, que impediu Dra. Dulci de competir na sexta e última etapa do Circuito, na capital paraense. A distância da prova foi alterada de 7 km para 10 km, não tendo premiação por faixa etária, como nas demais. Ela esteve no local apenas para receber o certificado de campeã da categoria Advogada Máster, mas que não foi entregue ainda.

A advogada paraense é uma das veteranas em corridas de rua no estado, tanto que na primeira edição do Circuito OAB, terminou como campeã geral em 2011. Em 2023, conquistou ouro na abertura do Circuito em Ananindeua (agosto) e, depois, em Paragominas (outubro) e em Parauapebas (novembro). Na cidade de Marabá, ganhou bronze (setembro).

Foto: Hélio Márcio / Divulgação