CBVela e World Sailing fazem ações sustentáveis no Mundial da Juventude 2023

0
114

Mais de 400 velejadores de 61 países começam a chegar em Búzios (RJ) para as regatas

A CBVela – Confederação Brasileira de Vela uniu forças com a World Sailing – Federação Internacional de Vela para implementar iniciativas que colocarão o Campeonato Mundial da Juventude de 2023, que começa nesta semana em Búzios (RJ), no caminho certo para ser um evento sustentável e neutro em carbono.

As iniciativas terão um impacto positivo a longo prazo e mostrarão como a vela pode chamar a atenção para problemas maiores, como o aquecimento global, além de outros temas sociais. Mais de 400 velejadores de 61 países têm inscrição confirmada.

A abertura do evento com o tradicional desfile das tripulações será em 9 de dezembro e as regatas de 11 a 15. Enquanto os jovens velejadores de até 19 anos de todo o mundo buscam resultados nas águas brasileiras, o trabalho vital nos bastidores ajudará na construção de um futuro mais verde, limpo e igualitário. ”A união de forças para colocar a sustentabilidade no coração do Mundial da Juventude foi fundamental. Com as parcerias, conseguimos trabalhar questões ambientais, sociais e econômicas.

Para a CBVela, este Mundial é um avanço e um grande aprendizado”, explica Marco Aurélio Sá Ribeiro, presidente da CBVela.

Uma árvore por atleta

Para neutralizar as emissões de gases do efeito estufa geradas pelo uso de combustível fóssil durante as regatas será plantada uma árvore nativa da Mata Atlântica por atleta. O plantio contribuirá com o projeto de reflorestamento do Parque Ecológico Tietê, na cidade de São Paulo, e formará o Bosque da Vela.

O trabalho é realizado pelo  Instituto Brasileiro de Defesa da Natureza (IBDN). ”Vamos compensar as emissões de carbono de todo o combustível utilizado por barcos que apoiam as regatas e por veículos que apoiam atletas, além do consumo de energia elétrica. Faz parte da organização de qualquer evento conhecer, registrar e adotar medidas para compensar seus impactos”, defendeu a diretora de sustentabilidade da CBVela, Sandra Di Croce Patricio.

Medidas para reduzir a geração de resíduos também foram adotadas pelo Mundial. Bebedouros e copos duráveis estarão à disposição dos participantes e uma cooperativa de reciclagem local foi contratada para apoiar a gestão dos resíduos.

Atletas poderão contribuir com a iniciativa utilizando um aplicativo que registra ações voluntárias de coleta de lixo nas praias. ”A vela ganhou, com razão, a reputação de ser um esporte líder neste tópico e, ao tornar a sustentabilidade uma parte fundamental do Campeonato Mundial da Juventude 2023, a World Sailing e a CBVela estão capacitando uma nova geração que pode liderar o caminho na proteção de nossos ambiente”, contou Alexandra Rickham, Chefe de Sustentabilidade da World Sailing.

Em sintonia com a Agenda 2030 da ONU As ações de sustentabilidade são norteadas pelos 17 ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e por isso o Mundial foi inserido no calendário oficial de eventos da Agenda Rio 2030, ação do Governo do Estado do Rio de Janeiro que reúne iniciativas que contribuem para o alcance dos ODS.

O time de pessoas voluntárias que vão trabalhar durante o Mundial passou por capacitação para identificar e saber agir diante de casos envolvendo discriminação, misoginia e racismo. A própria composição da equipe de voluntários foi pensada de forma a assegurar a igualdade de gênero, assim como a distribuição das tarefas.

O guia “Siga o Vento, Proteja o Mar” será distribuído a todos os participantes com o objetivo de engajar o público nas ações de sustentabilidade.

A Energisa é a patrocinadora oficial da Equipe Brasileira de Vela Jovem na disputa do Mundial da Juventude de Búzios 2023 por meio da Secretaria de Esporte e Lazer – Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Avène 

A marca francesa de dermocosméticos Avène é a mais nova patrocinadora da CBVela – Confederação Brasileira de Vela. O acordo passa a valer a partir do mês de dezembro de 2023 e terá duração de 13 meses.

A primeira ação da Avène com a entidade máxima da vela brasileira será na 52ª edição do Mundial da Juventude. Além do patrocínio, haverá entrega de protetor solar para os atletas da Vela Jovem em Búzios (RJ), ação que se repetirá nos campeonatos promovidos pela CBVela na próxima temporada.

A Avéne também estará ao lado da CBVela nas ações de sustentabilidade, um dos pontos fortes das duas marcas.

Equipe Brasileira de Vela Jovem

420 Open: Lucas Freitas e Victoria Back
420 feminino: Joana Gonçalves e Gabriela Vassel
29er masculino: Guilherme Menezes e Fernando Menezes
29er feminino: Clara Meyer Cardoso e Lívia Valduga Nogueira
Nacra 15: Alex Kuhl e Alexia Buuck
ILCA 6 masculino: Felipe Fraquelli
ILCA 6 feminino: Valentina Roma
Kitesurf masculino: Lucas Fonseca
iQFoil feminino: Sofia Rocha

Apoio à vela Jovem

A vela brasileira tem como destaque o Núcleo de Base do programa da Confederação Brasileira de Vela – CBVela junto ao Ministério do Esporte pelo Convênio 920223/2022.

O projeto ajuda no fomento à modalidade desde o ano passado. Sede da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela, a Marina da Glória, na capital fluminense, recebe adolescentes entre 13 e 17 anos para treinos visando eventos nacionais e internacionais da Vela Jovem. Outros campings de treinamento foram realizados no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ).

O trabalho leva jovens atletas a se aperfeiçoarem na modalidade, com o propósito de levá-los ao alto rendimento, incluindo participações em classes olímpicas e pan-americanas.

Sobre a CBVela

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.

Foto: @onboardsports360