Regatas com vento fraco na abertura das quartas da SSL Gold Cup

0
71

O Brasil estreou com um terceiro lugar nas quartas-de-final da SSL Gold Cup, a Copa do Mundo da Vela. As regatas desta segunda-feira (27) foram disputadas com ventos fracos em Gran Canárias, na Espanha. As condições transformaram a prova em um verdadeiro jogo de xadrez, já que os buracos na raia obrigaram as equipes a tomar muitas decisões.

A vitória ficou com a Austrália, que aproveitou uma melhor rajada na última perna de popa (vento a favor) e ultrapassou Portugal e Brasil. A Nova Zelândia, que começou liderando a prova e parecia ter um barco mais rápido, ficou em último.

Os quatro veleiros SSL 47 experimentaram ficar do último ao primeiro lugar durante os 45 minutos de prova, mostrando a dificuldade em achar a melhor escolha. A raia espanhola apresentou muita diferença de pressão desde a largada.

”O barco não tem velocidade de chegar na próxima pressão a tempo de perceber, então, fazendo um link com um jogo de xadrez, se você coloca seu peão em um lugar errado, o adversário come a peça. Velejamos muito bem, estamos nos entrosando melhor e a tendência é obter bons resultados”, disse Mário Tinoco.

Para o comandante Robert Scheidt, o dia na SSL Gold Cup foi difícil e o resultado de terceiro foi frustrante, já que a Seleção Brasileira de Vela teve a chance de vitória. O time somou 2 pontos pelo segundo lugar.

”O vento variou muito, com muitos lugares sem vento nenhum. Os outros dois times velejaram no vento e precisamos melhorar para amanhã. Mas acredito que nossa velocidade no vento fraco aumentou e a projeção é melhorar ainda mais amanhã”, projetou o bicampeão olímpico sobre os confrontos, que voltam nesta terça-feira (28).

A fase final conta com as 16 melhores equipes do mundo que fazem quatro regatas para definir os semifinalistas. As quartas-de-final terão o mesmo formato das eliminatórias, ou seja, quatro barcos se enfrentando em quatro regatas, sendo que a última vale peso dobrado. Os dois que somarem mais pontos seguem na SSL Gold Cup.

No Grupo 1 das quartas, a Grã-Bretanha abriu a série com uma vitória seguida por Malásia, França e Dinamarca. No 2, a Hungria voltou a surpreender abrindo com um primeiro lugar com Holanda, Chile e Alemanha fechando. Na chave 4, a Itália ganhou a regata diante de Espanha, Suíça e Lituânia.

O time brasileiro tem sido escalado com Alfredo Rovere, Juninho de Jesus, Henrique Wisni, Henry Boening, Gabriel Borges, Mario Tinoco, André Fonseca, Martine Grael e Robert Scheidt. Os suplentes são Gabriel Kieling e Pedro Trouche.

Foto: Martine Orsini

Numeração

1 Alfredo Rovere
2 Juninho de Jesus
3 Henrique Wisni Gomes
4 Henry Boening
5 Gabriel Borges
6 Mario Tinoco
7 André Fonseca
8 Gabriel Kieling
9 Martine Grael
11 Pedro Trouche
10 Robert Scheidt

Com semelhança das principais Copas do Mundo em outros esportes, a SSL Gold Cup é um evento de igualdade de oportunidades com barcos SSL47. O barco brasileiro ganhou em 2022 o patrocínio da Sertrading, uma das maiores empresas de comércio exterior do país, e da Subsea 7 S.A., que apoiarão o time. Além da marca de mochilas e equipamentos para atividades outdoor Allcatrazes.

A união entre Sertrading e Subsea 7 S.A com a Seleção Brasileira de Vela foi idealizada por Bruno Prada, companheiro de Robert Scheidt nas medalhas de Pequim 2008 e Londres 2012, e CEO do barco brasileiro.

Sobre a SSL Gold Cup

A SSL Gold Cup reúne desde seu início 56 nações entre os membros da World Sailing para coroar a melhor nação da vela a cada dois anos. Em um esporte mecânico em que a corrida pela tecnologia pode atrapalhar a corrida pela glória, a SSL busca uma competição igualitária, em que o talento dos velejadores está na vanguarda, e os campeões se tornam heróis inspiradores de novas gerações. A SSL é um evento especial da World Sailing desde 2017.

Como na Copa do Mundo de futebol, as primeiras rodadas de qualificação selecionam os times que avançam para as fases eliminatórias. Todas as regatas são disputadas com flotilhas de quatro barcos em cada, até as quartas de final. As equipes serão colocadas em chaves, com os oito primeiros colocados garantidos nas quartas-de-final.

Duas flotilhas de quatro competem nas quartas-de-final para selecionar as quatro equipes que participam da única regata da Grande Final. O vencedor da Grande Final será coroado como a Melhor Nação da Vela. A SSL criou um formato inovador. E os fogos de artifício ao final do evento prometem dar um desfecho dramático para esta incrível competição global.