Presidente da The Ocean Race confirma que um grupo de brasileiros vem trabalhando em um barco nacional

0
132

O Brasil participou com um barco na The Ocean Race na edição 2026-02 com o barco Brasil 1 capitaneado pelo medalhista Torben Grael, depois de 17 ano a empresa  SCBrasil Esporte Náutico chegou a  inscrever um projeto de um barco brasileiro nesta edição que encerrou em julho em Gênova.

Para a edição de 2026 ou 2031   Brasil pode voltar a ter um barco nacional na The Ocean Race.

O projeto de um barco está sendo desenvolvido por um grupo de ”pessoas boas” a confirmação é do presidente da The Ocean Race  Richard Brisius. Ele esteve em Itajaí, única parada da regata  volta à mundo na América do Sul e segunda no Continente Americano.

Projetando em ampliar o calendário de eventos náuticos da The Ocean Race, a organização da regata planeja realizar outras regatas e eventos nos intervalos da regata principal. “Existe um plano de ação para os próximos oito anos para constituir eventos como The Ocean Race Europe. Dessa forma vamos nos manter conectando as cidades-sede nesse período que ficamos sem The Ocean Race”, salienta Richard Brisius.

Brisius esteve na única parada da regata volta ao mundo na América do Sul, Itajai, a cidade já se inscreveu para receber a regata pela quinta vez.

O Presidente da mais ousada regata do planeta concedeu uma entrevista exclusiva ao Regata News..

Richard é taxativo quando questionado da possibilidade de um barco brasileiro na edição de 2026 –     “Bem, para uma equipe brasileira na próxima edição da regata, não há nada pronto. Mas é claro que sempre há muitos sonhos. Mas talvez haja um pouco mais de sonhos realistas desta vez “, – nas entrelinhas ela fala do projeto do barco da SCBrasil , “porque na última tivemos toda a situação da Covid, por isso foi muito difícil estabelecer uma equipe “.

Mas adianta de primeira mão – “Mas desta vez há algumas pessoas muito boas que estão tentando montar uma equipe. Mas saberemos em alguns anos”.

Ele descartou que a edição de 2026  não vai será repetida a rota entre a África do Sul à Itajai, uma jornada  onde  barcos  navegaram  direto por mais de 23 mil quilômetros, cruzando os oceanos Índico e Pacífico, para depois retornar ao Atlântico e chegar ao litoral catarinense. Mais precisamente a Itajaí, única sede da The Ocean Race na América Latina.

E  adianta que a organização está conversando para parar na Australia ou na Nova Zelandia – “então estamos planejando parar no caminho. Esta foi uma edição especial.. Veja foi muito o difícil, o mais difícil “concluiu.