Copa Brasil de Vela 2023 define campeões neste sábado (14)

0
101

Mais de 80 atletas, principalmente os da Vela Jovem, participam da disputa no litoral norte paulista

Os campeões da Copa Brasil de Vela 2023 serão conhecidos neste sábado (14) em Ilhabela (SP) após as regatas finais. As provas decisivas devem começar por volta de 12h na sede da Escola de Vela Lars Grael.

O evento começou na terça-feira (10) e é organizado pela Prefeitura de Ilhabela – Secretaria de Esportes e CBVela. As regatas servem como seletiva para o Mundial da Juventude 2023, que será em Búzios (RJ), no mês de dezembro. O Comitê Brasileiro de Clubes – CBC também faz parte da realização da competição.

Mais de 80 atletas de todas as idades, principalmente os da Vela Jovem, participam da disputa envolvendo as classes ILCA, Finn, 420, Optimist, IQFoil, Snipe e Dingue. A competição tem o objetivo de formar novos nomes da modalidade e dar chance aos atletas de competir em várias condições de regata, em uma das raias mais famosas do país.

”A Copa Brasil de Vela tem muita relevância na modalidade, pois ocorre há anos. Com isso os velejadores conseguem se planejar para correr o campeonato e treinar. E Ilhabela oferece uma estrutura única na Escola de Vela Lars Grael e nas raias da ilha. A comunidade de vela aqui e nas cidades próximas se reúnem neste período e se divertem na competição”, disse Marco Aurélio de Sá Ribeiro, presidente da CBVela.

Nesta sexta-feira (13), a comissão de regatas foi para o Canal de São Sebastião para realizar provas para todas as categorias. Mas as condições não foram favoráveis até o início da tarde com a bandeira de RECON hasteada para as classes ILCA 7, 6, 4, Snipe, 420, Dingue e Optimist.

As condições desta sexta-feira foram de ventos fortes, de 15 nós a 20 na direção sudoeste. Após uma melhora no tempo, as regatas foram realizadas para todas as categorias.

Na Finn, Antônio Moreira (CNC/MB) manteve os 100% de aproveitamento vencendo as quatro regatas realizadas e pode ser declarado campeão da Copa Brasil de Vela se a organização fizer apenas uma prova no último dia.

Na IQFoil, categoria das pranchas à vela presente em Paris 2024, o gaúcho Guilherme Plentz (CDJ/CBC) também está praticamente com o título assegurado após vencer todas as seis regatas do calendário. Guilherme Munhoz (Tempo) segue em segundo lugar e a melhor do feminino é Sofia Rocha (ICB-DF/CBC).

”Foi nossa primeira regata na competição e conseguimos velejar em duas oportunidades. Foi muito bom e com vento forte. No final, começou a chuviscar, mas consegui manter o ritmo até o final da regata”, explicou Guilherme Plentz, que representou o Brasil nos Jogos Sul-Americanos de Assunção 2022.

Nas disputas entre duplas, a categoria 420 é liderada pela parceria Leonardo Caminha e Henrique Becker (VDS), que são seguidos por Augusto Mateus e Lucas Flores.

No Snipe, Juninho de Jesus e William Moura (YCI/EVI) abriram vantagem confortável sobre as demais duplas e precisam apenas disputar a regata final para garantir o título. Já a classe Dingue possui Rwann Caique e Heitor Pires (EVI) na ponta da tabela com sete pontos de vantagem para Ana Freitas e Cecília Junqueira EVI. As duas citadas são as líderes da categoria feminina.

Ester Machado (EVI) no estreante e Felipe Fridrich (EVI) no veterano mantiveram suas posições intactas no Optimist após oito regatas.

Entre os ILCAs, as três divisões seguem com os mesmos líderes da véspera que são: Na versão 4, Renato Lunetta (ICB-DF/CBC) venceu todas as sete regatas do evento e é o virtual campeão, mesmo faltando ainda dois dias de campeonato.

Na ILCA 6, o líder Felipe Fraquelli (VDS/CBC) viu Andrey Godoy (ICB/CBC) encostar, mas a vantagem é confortável de 7 pontos. Na ILCA 7, João Pedro Souto (ICRJ/MB) segue inalcançável.

O evento é uma realização da Prefeitura de Ilhabela – Secretaria de Esportes e organização técnica da CBVela e serve como seletiva para o Mundial da Juventude 2023, que será em Búzios (RJ), no mês de dezembro. O Comitê Brasileiro de Clubes – CBC também faz parte da realização da competição.

Apoio à vela Jovem

A vela brasileira tem como destaque o Núcleo de Base do programa da Confederação Brasileira de Vela – CBVela junto ao Ministério do Esporte pelo Convênio 920223/2022.

O projeto ajuda no fomento à modalidade desde o ano passado. Sede da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela, a Marina da Glória, na capital fluminense, recebe adolescentes entre 13 e 17 anos para treinos visando eventos nacionais e internacionais da Vela Jovem. Outros campings de treinamento foram realizados no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ).

O trabalho leva jovens atletas a se aperfeiçoarem na modalidade, com o propósito de levá-los ao alto-rendimento, incluindo participações em classes olímpicas e pan-americanas.

Sobre a CBVela

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), além de ter o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) como parceiro no fomento à Vela nacional.

A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.

A CBVela foi a primeira confederação esportiva brasileira a integrar a Rede Brasil do Pacto Global da ONU e a incorporar a agenda global da sustentabilidade – a Agenda 2030, com seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – ao seu planejamento estratégico.

Foto: Caio Souza | On Board Sports