Aos 20 anos, Mateus Bender comemora primeira medalha com Seleção Brasileira adulta

0
93
Foto: Reprodução Instagram

Jovem levantador do Sesi SP e agenciado Pro Sports fez parte do elenco que conquistou a medalha de prata na Copa Pan-Americana

A conquista da medalha de prata do Brasil na Copa Pan-Americana de vôlei, disputada em Guadalajara, no México, marcou a estreia de novos talentos no time adulto. No elenco vice-campeão, com média de idade de 22 anos, jogadores de 19 a 26 participaram da competição e tiveram a primeira oportunidade no elenco principal, que passa por um processo de renovação.

Entre os novatos, estava o levantador Mateus Bender, de 20 anos, agenciado Pro Sports e atleta do Sesi de Bauru (SP). O jogador celebrou a oportunidade e sua primeira medalha com a Seleção.

Mateus contou que participar de uma competição internacional vestindo a camisa amarela proporcionou muitos aprendizados e evolução em seu voleibol.

“Estar na seleção foi e é uma honra. Saber que todo meu esforço e trabalho está sendo visto é muito gratificante e me motiva ainda mais. A conquista da medalha de prata, pra mim é mais do que especial. Falando pelo grupo, sentíamos que podíamos ter conquistado o ouro, mas eu saio de lá com a consciência de que todos ali dentro cresceram e evoluíram e isso não tem preço!”, celebra o levantador.

Com passagem pela Seleção sub-21, o jogador do Sesi SP defendeu o time adulto pela primeira vez na Copa Pan-Americana. Após a experiência, Mateus Bender foca agora na disputa da Superliga para fazer uma boa temporada pelo Sesi SP, seu time, e garantir novas convocações no futuro. Ele revela que estar nas Olimpíadas de Paris em 2024 é um dos seus sonhos.

“A Superliga hoje é uma das vitrines para a Seleção Brasileira, sem dúvidas. Então, é importante para mim manter o nível e se possível subi-lo essa temporada para o retorno à Seleção acontecer. É nítido, que o processo de renovação no elenco brasileiro está acontecendo, então sim sonho com uma vaga pra Paris, e todas as outras próximas Olimpíadas e campeonatos com a Seleção. Mas sempre com os pés no chão, pois sei que tenho muita estrada pela frente”, conta Bender.