Tudo sobre o MolokaBRA 2023

0
173

As regatas do MolokaBRA terão início neste sábado (26) na região metropolitana de Fortaleza (CE) com mais de 80 velejadores das classes Kitesurf, Kite Foil, Wing Foil e Windsurf.

A competição, que também terá provas de stand up paddle, remo e canoagem, é considerada a maior de downwind – a favor do vento – do país.

O evento acontecerá nas cidades de Aquiraz, Fortaleza e Caucaia em percurso passando por cartões-postais do estado como o Beach Park, Praia de Iracema e Cumbuco, considerada a meca do kite na América do Sul.

A CBVela – Confederação Brasileira de Vela é uma das organizadoras do evento ao lado da Federação Cearense de Vela e Motor, Iate Clube de Fortaleza e as entidades que regem as outras modalidades. A ASUP-Ceará é a organizadora geral do festival.

”O evento consolida o Estado do Ceará como um dos locais mais bacanas para velejar pelos ventos e pelas águas quentes. O litoral é muito propício para a prática do downwind, que é a favor do vento. O MolokaBRA, que começou apenas como os remadores, agora ampliou seu festival com mais modalidades e bateu recorde esse ano de atletas participantes ”, contou Daniel Azevedo, vice-presidente da CBVela.

Serão seis provas de vela com início neste sábado (26) com o Desafio Rei e Rainha da Orla, uma regata de kitesurf bidirecional de 35 km, saindo do Beach Park até a Barra do Ceará.

No domingo (27), o MolokaBRA concentrará os principais eventos da vela com a regata de 60 km do Beach Park até o Cumbuco para as classes Bidirecional, Wing Foil, Wind Surf, Kite Foil e Kite Wave.

A competição valerá como Copa Brasil de Downwind. A previsão é de ventos de 12 nós, considerado de média para intensidade nas categorias citadas acima. A temperatura deve ficar na casa dos 30 graus.

”Tecnicamente é uma prova rápida, os atletas precisam ficar com o pé no acelerador e por isso a maioria faz em um pouco mais de uma hora. É um desafio bem físico e não adianta andar numa linha reta. Tem que saber usar o vento e o swell wave – ondas do mar”, disse Dudu Mazzocato, velejador brasileiro.

O evento abrangerá o Campeonato Pan-Americano de Canoagem Oceânica COPAC e os Brasileiros de SUP Downwind pela CBSUP. Esses tipos de eventos geralmente atraem atletas tanto nacionais quanto internacionais, proporcionando uma plataforma para competição e intercâmbio esportivo.

Tupuri King, um atleta da Nova Zelândia reconhecido na canoagem oceânica,  compartilhará seu conhecimento e habilidades com outros participantes em Fortaleza (CE).

As entregas de kits e briefings técnicos foram realizados no Iate Clube de Fortaleza, que teve a presença de Manoel Linhares, vice-comodoro. ”Nós queremos que os atletas se sintam em casa e por isso recebemos tão bem esses participantes de todo o Brasil”, reforçou Manoel Linhares.

O representante do Iate Clube de Fortaleza também é presidente da ABIH – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis

Sobre a CBVela

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.

Fonte: On Board

Foto: Márcio Duarte / FVMEC