Brasil terá 24 atletas no Mundial de Haia 2

0
102

A sexta edição do Mundial de Vela será disputada de 11 a 20 de agosto em Haia (HOL) e contará com 24 atletas da Equipe Brasileira de Vela. A competição vale as primeiras vagas para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 e terá mais de 1.200 velejadores.

Os países ocupado até o top 11 no IQFoil garantem a vaga olímpica em ambos os gêneros. Já na 49er e 49er FX são as dez primeiras duplas Para CBVela, o atleta tem que ficar em top 16 geral ou top 8 país para conseguir o feito. No Fórmula Kite e no 470 misto são oito e no Nacra 17, nove. A ILCA 6 e 7 distribuem 16 vagas por nação no Mundial de Haia.

O evento mundial é realizado de quatro em quatro anos e reúne sempre as classes que estarão na raia da próxima olimpíada. O Brasil soma ao todo cinco medalhas, sendo quatro de ouro e uma de prata.

A primeira edição do Mundial de Vela foi realizada em Cádiz, na Espanha, em 2003, com Robert Scheidt levando a medalha de prata no Laser. Em 2007, na cidade portuguesa de Cascais, a vela brasileira trouxe dois ouros: Robert Scheidt e Bruno Prada no Star e Ricardo Winick no RS:X.

Em 2011, em Perth, na Austrália, novamente Robert Scheidt e Bruno Prada brilharam na classe Star. E em 2015, em Santander, na Espanha, Martine Grael e Kahena Kunze foram as campeãs mundiais na 49erFX. Na última edição, em Aarhus, na Dinamarca, o país não subiu ao pódio.

Atletas brasileiros preparados em Haia

Dos 24 atletas em disputa, nove disputaram pelo menos uma edição de Jogos Olímpicos. Entre eles, três medalhistas olímpicas, incluindo Martine Grael e Kahena Kunze, ouro na Rio 2016 e Tóquio 2020, e Isabel Swan, primeira medalha feminina obtida em Pequim 2008 ao lado de Fernanda Oliveira na 470.

Após a disputa de eventos na Europa, como Princesa Sofia, Semana de Hyeres e Evento-teste, a vela brasileira tem como destaque as atuais bicampeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze na 49erFX. As atletas subiram ao pódio em todas as competições em 2023. O último foi a medalha de prata no Evento-teste de Paris 2024, disputado na raia de Marselha.

Na classe 470, que passa a ser mista em Paris 2024, serão três duplas brasileiras com Rodrigo Duarte e Ana Barbachan, os atuais medalhistas pan-americanos Juliana Duque e Rafael Martins e Henrique Haddad com a medalhista olímpica Isabel Swan.

Na Nacra 17, também com uma mulher e um homem a bordo, João Bulhões e Marina Arndt e Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino tentarão a vaga olímpica brasileira nas águas de Haia. Serão 11 em disputa na categoria.

Com bons resultados na temporada, os dois atletas do masculino na Fórmula Kite podem antecipar a vaga olímpica na nova classe dos Jogos. Bruno Lobo e Lucas Fonseca foram top 5 nos Mundiais de Kite adulto e juvenil, respectivamente. No feminino, Maria do Socorro Reis será a única kitesurfista em Haia.

Uma das disputas mais acirradas está na ILCA 7 com três competidores. O atleta olímpico Bruno Fontes lidera o grupo que terá Philipp Grochtmann e Felipe Fraquelli. Na versão feminina, a ILCA 6, Gabriella Kidd defenderá o Brasil.

Na iQFoil, Mateus Isaac tentará provar que vem de recuperação na temporada e pode ser apontado como favorito às finais da prancha. No feminino, Bruna Martinelli e Giovanna Prada serão as representantes.

Equipe Brasileira 
49er – Marco Grael / Gabriel Simões
49er Fx – Martine Grael / Kahena Kunze
Formula Kite – Bruno Lobo
Fórmula Kite  – Lucas Pé Fonseca
Formula Kite Woman – Socorro Reis
iQFoil  – Mateus Isaac
iQFoil – Bruna Martinelli
iQFoil – Giovanna Prada
470 Misto – Rodrigo Duarte / Ana Barbachan
470 Misto – Henrique Haddad / Isabel Swan
470 Misto – Juliana Duque / Rafael Martins
ILCA 7 – Bruno Fontes
ILCA 7 – Philipp Grochtmann
ILCA 7 – Felipe Fraquelli
ILCA 6 – Gabriela Kidd
Nacra 17 – João Bulhões / Marina Arndt
Nacra 17 – Samuel Albrecht / Gabriela Nicolino