Mais brasileiros estreiam no evento-teste da vela em Marselha

0
107

O segundo dia de regatas do evento-teste de Paris 2024 na vela foi realizado nesta segunda-feira (10), em Marselha, na França. Apenas um brasileiro disputou regatas na raia da próxima olimpíada e foi justamente o maranhense Bruno Lobo, da Fórmula Kite.

O atleta subiu da sexta para a quarta colocação da categoria após cinco regatas disputadas no dia, com ventos entre 11 e 12 nós. Bruno Lobo teve como pior resultado um 18º lugar, que foi descartado. O líder é o francês Alex Mazella.

O resultado pode ser alterado, já que Bruno Lobo foi protestado em uma das regatas. A audiência será às 9h, horário local, desta terça-feira (11).

”Foi um dia positivo, estou me sentindo rápido numa flotilha muito veloz. A raia favoreceu à esquerda e procurei ser consistente, tive alguns erros, mas no final foi bom! Qualquer erro pode custar muito. Estou feliz por estar aqui defendendo o Brasil”, disse Bruno Lobo.

Nesta terça-feira (11), estreia o restante da Equipe Brasileira de Vela, que tem Mateus Isaac (iQFoil), Martine Grael e Kahena Kunze (49er FX) e João Bulhões e Marina Arndt (Nacra 17).

O medalhista olímpico Bruno Prada, que está como treinador de Mateus Isaac na prancha, destacou a importância do evento-teste. ”Amanha começa aqui em Marselha o evento-teste. Vamos enfrentar condições de ventos bem desafiadoras. A preparação foi boa e é um campeonato muito importante para o Mateus já se adaptar ao formato do evento nos padrões de uma olimpíada”.

Bruno Prada, ao lado de Robert Scheidt, disputou o evento-teste em 2007 e 2011 com 2 vitórias nas raias de Qingdao e Weymouth, respectivamente.

Parte dos atletas participam de eventos internacionais apoiados pelo termo de fomento à vela olímpica com parceria da CBVela. O objetivo é a preparação da Equipe Olímpica Principal de Vela e participação nos campeonatos internacionais. O número do convênio é 930972/2022.

Depois do evento-teste, os atletas da Equipe Brasileira de Vela focam no Campeonato Mundial, em Haia, na Holanda, entre os dias 11 e 18 de agosto. A competição define as primeiras oito vagas de países para os Jogos Olímpicos de Paris 2024. Outras serão preenchidas nos Jogos Pan-Americanos de Santiago, entre outubro e novembro.

Apoio à vela Jovem

A vela brasileira tem como destaque o Núcleo de Base do programa da Confederação Brasileira de Vela – CBVela junto ao Ministério do Esporte pelo Convênio 920223/2022.

O projeto ajuda no fomento à modalidade desde o ano passado. Sede da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela, a Marina da Glória, na capital fluminense, recebe adolescentes entre 13 e 17 anos para treinos visando eventos nacionais e internacionais da Vela Jovem. Outros campings de treinamento foram realizados no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ).

O trabalho leva jovens atletas a se aperfeiçoarem na modalidade, com o propósito de levá-los ao alto-rendimento, incluindo participações em classes olímpicas e pan-americanas.

Sobre a CBVela

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.

Foto: © Sander van der Borch