Ciclistas elogiam altimetria do Desafio Gigantes Internacional

0
103
Foto: Divulgação
O Desafio de Gigantes Internacional, que acontecerá no Villa Itaipava Resort & Conventions, na Região Serrana do Rio de Janeiro, divulgou a altimetria da competição. Serão 280m acumulados no XCO, o Cross Country Olímpico, 1.572m no percurso reduzido do XCM e 2.358m no percurso longo no XCM.
A competição de mountain bike será realizada entre os dias 10 a 12 de março e promete movimentar toda uma grandiosa estrutura com cerca de 1.200 atletas envolvidos. A organização prepara um evento de ponta para figurar entre as principais competições de ciclismo mountain bike no Brasil.
“O desenho foi feito pelo Henrique Avancini e pelo pai dele, o Rui. É um percurso desafiador, com cenário maravilhoso e seguro, sem quase veículos no percurso. Então, fizemos num percurso menor, mas em voltas, o deixa o percurso mais ‘lacrado'”, revela Felipe Avelar, idealizador da Avelar Sports e responsável pela realização do evento.
Serão duas provas de XCO, o Cross-Country Olímpico. O XCO Classe 1 engloba as categorias amadoras e oficiais, enquanto o XCO Classe 2 será para a elite masculina e feminina, e para a categoria sub-23.
O percurso terá 4,3 km, com aproximadamente 687 metros de altura na largada e na chegada. O ponto mais alto é próximo do 1,5 km, quando os ciclistas terão que pedalar a 778 metros. A inclinação máxima é de 41,8%.
Já na XCM, a Cross-Country Maratona, será apenas uma prova, de circuito reduzido ou completo. No primeiro, serão duas voltas de 13 km. Na segunda opção, três voltas de 13 km. Além do trajeto maior, a prova também exigirá mais resistência à altitude. Os ciclistas alcançarão 894 metros na altura dos 7,5 km, com inclinação de 38,2% no máximo.
Na classe XCM, são 20 categorias para o percurso reduzido, como veterano e master, além de 19 categorias no percurso completo, como elite e masculino.
“A altimetria é bastante considerável, algo ainda não visto em nenhum circuito no Brasil. São quase 300 metros de subida acumulada por volta. Isso é algo surreal. Difícil dizer como será a prova. A única certeza que tenho é que será extremamente duro”, analisa o ciclista Nicolas Machado, que competirá no XCO e no XCM.