Empresa náutica brasileira pode inscrever barco nacional em regata na Europa

0
127

O Brasil depois da façanha do Barco Brasil 1 ainda não conseguiu colocar um barco nacional na The Ocean Race, a empresa náutica SCBrasil Esporte Náutico inscreveu um barco de categoria Imoca para a edição 2023, entretanto juntamente com outros oito equipes inscritas não conseguiram concluir o cronograma de programação.

Mas a SCBrasil Esporte Náutico, copiando o  caso de Sir Peter Blake, que competiu na primeira edição da então Whitbread Round the World Race em 1973-74 e voltou várias vezes até que finalmente conquistou o seu Everest, garantindo uma vitória esmagadora com o Steinlager 2 em 1989-90. Só então ele foi capaz de voltar totalmente sua atenção para outros projetos.

 

Executivo da SCBrasil Esporte Náutico, Adilson Pacheco,

Diante do contexto, a SCBrasil volta a se preparar para inscrever um barco na edição 2025-26. Ainda não está definido se vai ser na categoria Imoca ou VO65. Caso opte pelos VO65, o foco será um marketing promocional para investidores no mercado Europeu, os barcos desta categoria não participam da volta ao mundo –  e tem um circuito menor, em suma não  chegam na parada brasileira.

O Executivo da SCBrasil Esporte Náutico, Adilson Pacheco, destaca que a primeira ação da empresa brasileira criada a três anos – foi a inscrição de um barco na categoria Imoca na regata internacional The Ocean Race, que tem a única parada na América do Sul, na cidade  norte catarinense de Itajai, -prevista para abril.

“Ocean Soul Sports Náutic”

“Não conseguimos atingir o volume de investimento  necessário para o projeto nacional, assim como outros oito barcos de oito países diferentes, também não  conseguiram entrar na edição de 2022-23. E veja, conseguimos colocar o nome do Brasil entre os 21 barcos inscritos na Copa do Mundo da Vela, depois da primeira façanha brasileira com o Brasil 1  há 17 anos. Diante da expertise adquirida nos últimos três anos, onde ficamos focado no sucesso do projeto náutico mundial, vimos  que temos que fomentar mais o esporte náutico no litoral sul catarinense”, disse.

Para o executivo, a comunidades que sedia um evento como o “Ocean Soul Sports Náutic”, só ganha tanto na economia local, divulgação internacional e atração de novos investidores e consolidação de marcas empresariais no mercado.

“Precisamos capitalizar grandes regatas internacionais para  o nosso litoral, veja que Recife, PE, recebeu uma das maiores regata da Europa a Globe 40, Itajai recebe a The Ocean Race, já recebeu a maior regata da Franca a Transat Jacques Vabre, o sul catarinense vai receber o “Ocean Soul Sports Náutic”. Mas nossa agência vai se articular para atrair outros grandes eventos internacionais para esta região”. disse.

As ações para a concretização do “Ocean Soul Sports Náutic”,  inicia em março – na busca de investidores patrocinadores para a concretização do evento e demais ações para a concretização do evento náutico no sul catarinense.   O lançamento internacional do evento ainda não tem data prevista.