Estreia da Copa da Juventude 2023 no YCSA

0
158

As regatas da Copa da Juventude 2023 tiveram início nesta terça-feira (31), no Yacht Club Santo Amaro – YCSA, em São Paulo (SP).

A principal competição da vela de base do país reúne 150 atletas de oito estados nas classes Formula Kite, 420, ILCA, 29er e IQFoil.

O vento rondado na Represa do Guarapiranga deixou o dia de estreia mais difícil para a nova geração da modalidade. Os barcos foram para a água logo pela manhã para aproveitar os ventos noroeste de 6 a 14 nós na zona sul paulista.

Com mais veleiros na água, a ILCA contou com regatas equilibradas e a liderança provisória de Felipe Fraquelli (VDS), com vantagem para Mathias Reimer (YCSA). São 63 barcos disputando a categoria. Entre as mulheres, Valentina Roma (CICP /CBC) foi a melhor após três provas.

”Hoje rondou muito, além de ter diferença de pressão dos dois lados da raia com um todo. Acertar esses dois fatores é bem difícil. Já estamos acostumados com regatas com mais de 60 barcos, é particularmente comum para a classe”, disse Felipe Fraquelli, representante do Brasil nos Jogos Sul-Americanos 2022 na categoria.

Na 420, Gustavo Glimm e Luiza Madureira (ICRJ/VDS) tiveram o melhor desempenho na raia 2. Superam as atuais campeãs brasileiras no geral da categoria, que são Joana Gonçalves e Gabriela Vassel. A disputa também foi marcada pelo equilíbrio na Guarapiranga. ”A principal dificuldade foi encontrar a melhor rajada já no início das largadas. A comunicação a bordo foi fundamental para conseguirmos ir bem hoje”, contou Luísa Madureira

Na 29er, os representantes do Brasil no Mundial da Juventude 2022 abriram o dia com vantagem. Os irmãos Guilherme Menezes e Fernando Menezes (ICSC) somam apenas 4 pontos perdidos contra 12 de João Marcelo Carlin e Luc le Corre (ICSC/YCSA/CBC). Foram realizadas três regatas no dia.

Na kite, Marcos Americano Rodrigues (BL3/YCSA/CBC) foi o melhor. Já na IQFoil, os destaques do dia foram Guilherme Munhoz (TEMPO) e Sofia Faria (ICB/CBC).

Ao final do dia, os velejadores receberam a visita de Alex Welter, primeiro medalhista de ouro da vela brasileira. O atleta do YCSA venceu a classe Tornado em Moscou 1980 ao lado de Lars Sigurd Bjorkstrom. O ex-atleta falou sobre os desafios da carreira e os caminhos para chegar ao topo do mundo.

Nesta quarta-feira (1º) estão programadas pelo menos mais duas regatas para cada classe da Copa da Juventude 2023. O bicampeão olímpico Torben Grael fará uma palestra para os presentes no YCSA.

Foto: Caio Souza | On Board Sports

Apoio à vela Jovem

A vela brasileira tem como destaque o Núcleo de Base do programa da Confederação Brasileira de Vela – CBVela junto com a Secretaria Especial do Esporte e a Secretaria de Especial do Alto Rendimento – SNEAR do Ministério da Cidadania para a vela jovem pelo Convênio 920223/2022.

O projeto ajuda no fomento à modalidade desde o ano passado. Sede da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela, a Marina da Glória, na capital fluminense, recebe adolescentes entre 13 e 17 anos para treinos visando eventos nacionais e internacionais da Vela Jovem. Outros campings de treinamento foram realizados no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ).

O trabalho leva jovens atletas a se aperfeiçoarem na modalidade, com o propósito de levá-los ao alto-rendimento, incluindo participações em classes olímpicas e pan-americanas.

Programação

1/2

Regatas

Bate papo com Torben Grael

2/2

Regatas

Palestra: A água em que velejamos. Sydnei Schekler

Jantar dos velejadores

3/2

Regatas

Palestra: A rota polar – Beto Pandiani

4/2

Regatas

Cerimônia de premiação

Sobre o YCSA

Localizado na cidade de São Paulo (SP) às margens da Represa de Guarapiranga, o YCSA é cercado por muito verde, compondo um cenário natural perfeito para a prática da vela. Berço de vários campeões mundiais, o YCSA carrega a tradição de uma biografia admirável ao lado da modernidade de suas instalações e barcos.

Fazer parte desse clube é ajudar a escrever uma história que começou em 1930 e que, desde então, tem marcado a vida de cada associado. Com estrutura náutica privilegiada, o clube conta com hangares modernos para estadia de embarcações à vela e motor, escola de vela com embarcações próprias, rampa de 25 metros de largura com baixa inclinação de acesso à represa, deck e píer com maravilhosa vista da represa, trator e guindaste para transporte de embarcações, marinheiros bem treinados e lanchas e botes de apoio.

O Yacht Club Santo Amaro tem 24 mil m² repletos de natureza e é conhecido dentro e fora do país por sua estrutura náutica de ponta, oferecendo as melhores condições para o aprendizado e prática da vela. O clube é reconhecido não só pelos seus atletas campeões, mas também por sediar eventos de vela nacionais e internacionais.

Sobre a CBVela

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.