Saquarema/RJ, a ‘Capital Nacional do Surf’, recebe uma competição da World Surf League (WSL), a Corona Saquarema Pro

0
340
Daniella Rosas_22Ericeira_1273_DamienPoullenot

Pela terceira vez em menos de seis meses Saquarema/RJ, a ‘Capital Nacional do Surf’, recebe uma competição da World Surf League (WSL), a Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil, que inicia na terça-feira, 1º e vai até dia 8 de novembro. Para falar das expectativas para esta sexta e penúltima etapa do Challenger Series da WSL e o primeiro da categoria na América do Sul, foi promovida uma entrevista coletiva de imprensa online. Participaram os surfistas que defenderão o Brasil, Luana Silva, Michael Rodrigues e Alejo Muniz, além da surfista do Peru, Daniella Rosas; a Prefeita de Saquarema, Manuela Peres; e o CEO da WSL Latin America, Ivan Martinho.

“Estamos bem felizes e nos planejamos muito para realizar no Brasil essa primeira etapa do Challenger Series da América Latina. É um marco para a história do surfe do país e para Saquarema sediar no mesmo ano três competições da WSL, a Oi Rio Pro (etapa brasileira do mundial/ CT), o Saquarema Surf Festival (único evento do Qualifying Series com status máximo de 5000 pontos) e a Corona Saquarema Pro”, afirma Ivan Martinho. “Queremos agradecer à Prefeitura de Saquarema, à Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado, nossos patrocinadores e a comunidade que sempre nos recebe tão bem. Por isso, tentamos contribuir ao máximo com a economia local e nossa preocupação com a sustentabilidade é constante. A previsão de ondas promete e esperamos surpreender com mais um evento na cidade”, completa o CEO da WSL Latin America.

 

Luana Silva22Sunset1257Bielmann

Para a prefeita Manoela Peres isso só engrandece esse legado que Saquarema quer deixar para o esporte e, sobretudo, para os jovens e comunidade locais. “Para nós é uma honra receber esses três eventos da WSL. Além do acréscimo para nossa economia, queremos que Saquarema seja conhecida como a cidade do esporte no Brasil, assim, realizamos forte investimento no Centro de Treinamento e oferecemos para os jovens e atletas de alto rendimento condições para tal. Quando recebemos uma competição como essa, a atmosfera da cidade muda, por isso estamos com um projeto para transformar Itaúna em um bairro temático do surfe, futuramente”, conta Manoela.

Expectativa dos Atletas – Nesta reta final da temporada os surfistas estão de olho em importantes pontos no ranking que dará acesso à elite mundial, no Championship Tour (CT) em 2023. Estarão encarando as ondas da Praia de Itaúna, 160 atletas, dos quais 96 do masculino e 64 do feminino. Entre alguns tops do CT, o tricampeão mundial Gabriel Medina recebeu um dos convites (wildcards) da WSL Latin America e está de volta às competições depois de uma contusão. Restam apenas sete vagas a para serem definidas para o CT.

Luana Silva (Brasil), 9ª no ranking do CS, vencedora da etapa do CS em Portugal 2022, filha de brasileiros nascida no Havaí: “Saquarema não é uma onda fácil mas é uma onda forte e consegui um bom resultado na semana passada (Saquarema Surf Festival). As pessoas me receberam muito bem e, agora, vamos para o Challenger, onde acho que terei boas chances também. Para mim a semelhança entre o surfe do Havaí (onde reside) e do Brasil é o estilo de vida que as pessoas do meio levam aqui, mas lá as pessoas se dedicam mais ao surfe e a cultura polinésia do esporte fale mais forte.”

Daniella Rosas (Peru), 21ª no ranking do CS, vencedora do Saquarema Surf Festival 2022, representou o Peru nas Olímpiadas: “O Brasil tem etapas incríveis e sempre que venho aqui me sinto em casa e sou muito bem acolhida, a torcida daqui é incrível também. Saquarema tem altas ondas e as surfistas que competem aqui são muito preparadas e centradas para conseguir resultados. O que falta para eu entrar no CT? Acho que uma mente mais forte, mas estou me preparando para isso, estou segura com o trabalho que venho realizando e sei que o resultado virá para fazer parte um dia do dream team do Tour. Surfar e competir me deixam feliz e desfruto muito dos lugares por onde passo.”

Michael Rodrigues (Brasil), 8º no ranking do CS, foi atleta do CT em 2018 e 2019: “Desde que fui pai há dois anos repensei muito a minha carreira, revi alguns erros e, agora, estou mais determinado e focado do que nunca no preparo mental também, que é ponto forte. Antes me preocupava mais com o físico e entrar na água, mas a competição não é só isso. Este CS é muito importante para minha volta ao CT. Estou há alguns dias aqui em Saquarema, um lugar incrível onde a gente recebe esse calor humano da torcida, que vai alimentando uma energia boa e deixa tudo mais positivo para gente competir.”

Alejo Muniz (Brasil), 13º no ranking do CS, competiu sete temporadas no CT: “As lesões são boas para o aprendizado. Ficar fora depois de duas cirurgias no joelho me fez ver o quanto amo surfar e quanto sou feliz surfando que é nossa diversão e nosso trabalho também. Acho que o grande segredo do CS é manter a constância, cada ponto e onda contam muito, tanto que eu estava em 5º e fui para 13º, por isso essa etapa de Saquarema é uma das mais importantes do ano e vou lutar para trazer um bom resultado. Tenho muita garra, me levanto das quedas e quero deixar para as próximas gerações que sendo trabalhador e esforçado você pode chegar lá, se tiver talento ou não, o essencial é ter um sonho e deixá-lo vivo. Como o meu e vou lutar muito para voltar ao CT.”

O evento será transmitido ao vivo no site da WSL e Aplicativo e Canal da World Surf League (WSL) no YouTube.

O Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil conta com patrocínio da Corona, Banco do Brasil, BB Asset, Prefeitura Municipal de Saquarema, Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, TikTok, 51 Ice e NewON.

 

 WSL – A World Surf League (WSL) promove as principais competições de surfe no planeta, coroando os campeões mundiais desde 1976, com os melhores surfistas do mundo se apresentando nas melhores ondas do mundo. A WSL é composta por uma divisão de Circuitos e Competições, que supervisiona e opera mais de 180 eventos globais a cada ano; pela WSL WaveCo, que produz as melhores ondas artificiais de alta performance; e pela WSL Studios, com produções independentes de conteúdos e projetos com e sem roteiros. Para mais informações, visite o site da WSL