Scheidt encara “maratona” no Japão e sobe para terceiro, na zona de medalhas na Olimpíada

0
41
Scheidt subiu de oitavo para terceiro, após seis regatas (Julio Cesar Guimarães / COB

Bicampeão olímpico brasileiro conseguiu um 3°, um 17° e um 5° lugares nas três regatas disputadas na madrugada desta terça-feira (27) e sobe para 3° na classificação geral da classe Laser. Robert Scheidt já está na zona de medalhas na Olimpíada de Tóquio. Após três regatas disputadas na madrugada desta terça-feira (27), na raia de Enoshima, o velejador brasileiro subiu de 8° para o 3° lugar na classificação geral da classe Laser. O bicampeão olímpico conseguiu um 3°, um 17° (já descartado) e um 5° lugares, resultados que garantem mais um salto na tabela, após terminar o primeiro dia em 11° lugar.

Com ventos de 17 nós, Scheidt largou bem, chegou a primeira marca em 7° e faz valer sua reconhecida velocidade no popa para ganhar posições até chegar em 3°. Na segunda prova do dia, as rajadas perderam força e oscilaram, entre 14 e chegando a oito nós. Robert enfrentou dificuldade na primeira perna, no contravento, e iniciou em 16°. Chegou a cair para 18°, recuperou para 14° e acabou cruzando a linha de chegada em 17°.

A terceira regata desta terça-feira parecia repetir os problemas na prova anterior. Scheidt largou em 15° e iniciou uma recuperação barco a barco. Chegou a segunda marca em 7°, depois em 6° para, em seguida, conseguir mais uma ultrapassagem até cruzar a linha de chegada em 5° lugar. A disputa contou com ventos mais constantes, na casa dos 12 nós.

Com o desempenho desta terça-feira, Scheidt está em 3° lugar na competição da classe Laser, com 33 pontos perdidos, já contando o descarte do pior resultado (17° na quinta regata). Robert está seis pontos atrás do segundo colocado, o australiano Matt Wearn, com 27 pontos perdidos, e a 15 pontos do líder, o cipriota Pavlos Kontides, com 18pp.

Faltam agora quatro regatas para o fim da fase de classificação da classe Laser. Os velejadores terão folga nesta quarta-feira (28). Apenas os dez melhores colocados avançam para a Medal Race, que tem pontuação dobrada, marcada para domingo, dia 1º de agosto.

O bicampeão olímpico Robert Scheidt é patrocinado pelo Banco do Brasil e Rolex e que conta com o apoio do COB e CBVela.

https://www.instagram.com/regata_news.sc/

Cinco medalhas Olímpicas:    

Ouro : Atlanta/96 e Atenas/2004 (ambas na Classe Laser)

Prata : Sidney/2000 (Laser) e Pequim/2008 (Star)

Bronze : Londres/2012 (Star)

181 títulos – 89 internacionais e 92 nacionais

    Laser  

– Onze títulos mundiais – 1991 (juvenil), 1995, 1996, 1997, 2000, 2001, 2002*, 2004 e 2005 e 2013

*Em 2002, foram realizados, separadamente, o Mundial de Vela da Isaf e o Mundial de Laser, ambos vencidos por Robert Scheidt

– Três medalhas olímpicas – ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, prata em Sydney/2000

– Na Olimpíada Rio 2016, terminou em quando lugar, vencendo a medal race, televisionada para o mundo todo.

    Star    

– Três títulos mundiais – 2007, 2011 e 2012*

*Além de Scheidt e Bruno Prada, só os italianos Agostino Straulino e Nicolo Rode venceram três mundiais velejando juntos, na história da classe

– Duas medalhas olímpicas – prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012

– Integrante fundador da Star Sailors League, um circuito global de competições em franca ascensão, como uma ATP da vela, com ampla cobertura midiática. Scheidt foi o campeão da primeira edição, em 2013, ao lado de Bruno Prada, e vice-campeão em 2017 e 2018, com Henry Boenning.