Brasileiro de Optimist 2021 entra na reta final

0
69

A etapa final do Brasileiro de Optimist 2021 começou nesta quinta-feira (14), no Rio de Janeiro (RJ).

O principal evento da vela de base reúne mais de 100 participantes de 6 a 15 anos no Iate Clube do Rio de Janeiro.

Os jovens já estão divididos nas flotilhas ouro e prata, cada uma com 62 participantes, para dias de intensa disputa.

A classe Optimist formou os principais nomes da modalidade, como os campeões olímpicos Robert Scheidt e Martine Grael, e serve até hoje como porta de entrada das crianças na vela.

”Realizar o Campeonato Brasileiro foi, e ainda está sendo, um grande desafio. Desde novembro decidimos que só cancelaríamos se fosse uma imposição governamental. O Campeonato Brasil-Centro em dezembro foi uma espécie de “evento teste”. Para viabilizar a realização tivemos que deixar de lado toda a parte social da competição, para mantermos o foco no esporte em si”, disse Kadja Brandão, capitã da flotilha Zé Carioca do Iate Clube do Rio de Janeiro.

”Funcionou muito bem, e não tivemos sequer um caso de COVID noticiado entre 120 crianças e adolescentes participantes. Isso nos deu o caminho para o Campeonato Brasileiro. E estamos tendo o privilégio de receber cerca de 180 velejadores, como sede de competição”.

Até o momento já foi concluída a Copa Brasil de Estreantes destinada aos velejadores no seu primeiro ano na classe.

Foram 3 dias, 5 regatas, 46 velejadores, 12 clubes de 8 estados brasileiros para, no último sábado, consagrar como campeã geral Lara Candemil do Iate clube de Santa Catarina – Veleiros da Ilha.

Os segundo e terceiro lugares foram, respectivamente, para Guilherme Amaral e Samuel Orrico, ambos do Yacht Clube da Bahia.

Na última terça-feira (12), foi realizado o campeonato por equipes, representando estados previamente classificados. O ICRJ foi o vencedor.

A final foi entre duas equipes representando o estado do Rio de Janeiro. Em um sistema de melhor de três regatas, a primeira regata teve a pontuação empatada e precisou ser decidida pelo critério de desempate: ganha a equipe mais coesa com a pontuação mais próximas entre seus integrantes.

Com a vitória de duas regatas, a grande campeã foi composta por atletas do Iate Clube do Rio de Janeiro, a segunda colocada por atletas do Clube Naval Charitas e o terceiro lugar por atletas do Cabanga Iate Clube de Pernambuco.

Os próximos dias serão para definir o próximo campeão da classe.

Geison Mendes, técnico do Veleiros do Sul (RS) aposta em dias com um pouco mais de vento.

”Isso vai dar uma apimentadinha na competição. Até porque começa a se concentrar os melhores na [flotilha] ouro e acho que pode mexer bastante com a súmula”.

Até o momento, vem se destacando Lucas Freitas, ICRJ, atual campeão e que ganhou todas as regatas das quais participou.

Sobre o Op

A classe Optimist é uma das mais praticadas na vela mundial por ser uma categoria de introdução à modalidade. O barco de 2,34 metros é fácil de tocar e oferece segurança para a garotada de até 15 anos aprender as principais funções de um monotipo. Além de ser um barco de iniciação à vela e de excelente custo benefício, o formato impede velocidades elevadas, garantindo, assim, a segurança do Optimist.

O veleiro suporta até 60 quilos e pode ser conduzido por pequenos de 7 a 15 anos. O nome, traduzido do inglês, quer dizer otimista. Hoje, a organização que cuida da categoria mundialmente estima que mais de 100 mil crianças tenham um modelo.

SOBRE A CBVELA

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico do Brasil (COB). Tem o Bradesco como patrocinador oficial, e o Grupo Energisa como parceiro oficial e patrocinador oficial da Vela Jovem. A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: sete. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 18 medalhas em Jogos Olímpicos.