Animais marinhos são resgatados diariamente no litoral catarinense e paranaense

0
73
Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), coordenado pela Universidade do Vale do Itajaí em Santa Catarina e no Paraná

Aves foram as espécies com maior registro nas atividades do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos em 2020

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), coordenado pela Universidade do Vale do Itajaí em Santa Catarina e no Paraná, encerra o ano com o registro de mais de 8000 animais marinhos resgatados no litoral destes estados. Em 2020 o projeto completou cinco anos de atuação na região e contabilizou cerca de 50.000 animais, em aproximadamente 640.000km já percorridos no monitoramento diário das praias.

 

Animais marinhos são resgatados diariamente no litoral catarinense e paranaense

Entre os animais que fazem parte da fauna alvo do projeto, as aves lideram os acionamentos, com um total de 5129 ocorrências. Infelizmente, destas apenas 1155 estavam vivas. Já as tartarugas marinhas, vieram em segundo lugar com 2723 casos, e novamente apenas 88 estavam vivas. Por fim, os mamíferos com 490 registros, destes 114 sem vida. Segundo André Barreto, coordenador geral da Área SC/PR do projeto, muitos destes animais aparecem na costa já sem vida devido a questões naturais. “O monitoramento executado pelo PMP-BS nos tem permitido entender melhor a mortalidade das diferentes espécies, e agora estamos tentando avaliar quanto desta mortalidade vem de causas naturais e quanto de atividades humanas”, comenta André Barreto.

Também foi um ano de grandes emoções para as equipes que executam o projeto. Em junho, uma baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) encalhou viva na praia da Lagoinha do Norte, em Florianópolis. A operação de desencalhe foi um sucesso e ela conseguiu retornar para o mar. Já em outubro uma rara ocorrência de uma cachalote-pigmeu (Kogia breviceps) com três metros de comprimento e 370kg, encalhou viva na praia da Ribanceira, em Imbituba. Uma grande ação de mobilização foi realizada para translocar o animal até o Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM/R3Animal), localizado em Florianópolis. A operação foi realizada com sucesso, porém a cachalote-pigmeu veio a óbito após 24 horas na reabilitação.  Recentemente foi registrada uma outra ocorrência de encalhe de baleia viva. No início de dezembro uma Jubarte encalhou na Praia Grande, em São Francisco do Sul, mas infelizmente esta não resistiu e veio à óbito antes de ser desencalhada.

 

Registros de animais vivos como, lobos, leões e elefantes marinhos, também ocorreram. Alguns não precisaram de grandes intervenções e apenas foram monitorados nas praias, como por exemplo, um elefante marinho (Mirounga leonina) que em meados de julho escolheu Balneário Camboriú para descansar. Já outros mais debilitados foram encaminhados para as Unidades de Estabilização e Centros de Reabilitação, onde receberem o devido tratamento até retornarem ao seu habitat natural.   Entre os momentos mais especiais e de realização para os mais de 160 profissionais envolvidos diretamente no projeto, estão as solturas de animais reabilitados. Em 2020 foram devolvidos à natureza 351 animais marinhos reabilitados pelo PMP-BS, sendo 312 aves, 21 tartarugas e 18 mamíferos marinhos. “O trabalho em rede, a qualificação dos profissionais envolvidos, a estrutura que atualmente o PMP-BS tem para o atendimento destes animais e toda a experiência adquirida desde o início do projeto, possibilitam salvar as vidas de muitos animais”, completa André Barreto.

 

Nesta época de fim de ano, onde o movimento aumenta em todo o litoral brasileiro, a equipe faz o apelo para que as pessoas tenham cuidados redobrados com o descarte do lixo. É fundamental que a sociedade tenha consciência dos danos que a poluição causa no ambiente marinho.

Caso encontre um animal marinho, debilitado ou morto, na faixa de areia das praias do litoral catarinense e paranaense, entre em contato pelo telefone: 0800 642 3341.  ]

O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal, conduzido pelo Ibama, das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos.Tem como objetivo avaliar possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos encontrados mortos.

O PMP-BS é realizado desde Laguna (SC) até Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos. Atualmente a Univali coordena a Área SP/PR (trechos 01 a 06).