Opinião: Eleições municipais 2020 uma nova oportunidade

0
147
Jaqueline Gazaniga

Jaqueline Gazaniga

Mulher na política? Sim! Porque não?

Sem entrar em feminismo exagerado ou então em bandeiras específicas, quero entrar na reflexão.

Crenças e culturas fazem parte da nossa sociedade, mas o que importa é o que e como podemos melhorar a sociedade como um todo.

Pensando nisso dias atrás em uma postagem minha nas redes sociais, na seguida modinha do #tbt, aquela que se posta uma foto antiga nas quintas feiras, publiquei uma foto na qual aos meus 11 anos eu praticava artes marciais. Aquele em especial era da modalidade de Taekwondo. Uma amiga me chamou no privado, naquele momento ela poderia tecer tantos comentários positivos sobre aquele fato, como: que dedicada, esforçada, atleta, empenhada e outros ainda. Mas não, nenhum dos acima, ela respondeu escrevendo “machinho”, fiquei assustada. E logo respondi que hoje ainda faço outras coisas nesse sentido, como a autodefesa para mulheres com fundamento no boxe, curso de bastão e mais ainda.

Diante do meu gosto peculiar em atividades de ação, expertise, esforço, garra, fiquei pensando, por que temos esse pré conceito embutido em nossas mentes primitivas. Pois, se agora eu jogo futebol, qual seria meu rótulo.

Reflito ainda, será que eu ou qualquer outra mulher não teríamos capacidade seja ela física, moral, intelectual de fazer uma atividade, um esporte, uma profissão, um cargo direito ou estar na política como qualquer outra pessoa?! A resposta está em uma cultura machista e ultrapassada em que ainda esperam que as pessoas repitam padrões de comportamento social pré estabelecidos, que fiquemos no automático. E por conclusão que ser diferente, não seria certo.

Em minha profissão como advogada, que por vezes predominante masculina, e ainda em um meio masculino, percebi que na realidade não há diferença de capacidade. E que por muitas vezes as mulheres se destacam muito mais, por sua força, garra, dedicação e esperteza. Que nos dias de hoje a mulher não é mais obrigada a viver uma vida infeliz. Que ela tem direito e possibilidade de escolhas, seja em um relacionamento, na profissão e em qualquer área.

Mulher é sinônimo de capacidade! E que nesse ano de 2020 o qual estão acontecendo tantas coisas incomuns, desejo nessa eleição, que as mulheres apareçam e sobressaiam para fazer o que melhor sabem fazer que é brilhar! Digo brilho, não só aquele de sua beleza, mas aquele de conquistas e realizações.

Você leitor e leitora também pode fazer parte desta nova história, nessas eleições apoie ou seja uma grande mulher.

Forte abraço

Jaqueline Gazaniga