Dia 20 de novembro de 2019: Consciência negra e o jornalismo

0
433
Recentemente o comunicador Júlio Oliveira , do SporTV, discutiu sobre a falta de representatividade negra no jornalismo - usando como exemplo onde trabalha. #jornalistaspretos

 

 

 

Consciência negra e o jornalismo

Nós do grupo jornalistas pretos saudamos os irmãos e irmãs nesse dia em que se comemora a consciência negra.

Alguns veículos de comunicação fizeram matérias especiais com pautas voltadas para a população negra e os seus principais profissionais negros.

Apesar de ser um bom caminho não podemos deixar de ressaltar que é discrepante o número de jornalistas negros nas redações e a quantidade da população negra (55, 8%).
Desses, apenas apenas 23 % dos profissionais nas redações são negros ou pardos, segundo dados da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ).

De nada adianta uma programação dedicada ao dia da consciência negra se esse discurso não se reflete em números nas redações.

Recentemente o comunicador Júlio Oliveira , do SporTV, discutiu sobre a falta de representatividade negra no jornalismo – usando como exemplo onde trabalha. Com muita propriedade ele falou sobre isso após comentar os relatos de racismo da torcida que continua frequente no futebol e aconteceu com os jogadores Dentinho e Taison na Ucrânia.

“É uma coisa que incomoda porque você vê brancos discutindo temas de negros porque falta representatividade de negros participando. A gente olha para nossa redação e é um mar branco, é um mar branco… ” – Disse Júlio.

Esse sentimento do comunicador reflete a nossa luta. Que a batalha pela pluralidade na comunicacao e mais proximidade com a população que os veículos defendem seja efetivamente uma realidade mais discutida ,pensada e colocada em prática nas redações e que tenhamos um jornalismo mais inclusivo e representativo.

#jornalistaspretos