Copa Yacht Club Paulista agita represa em São Paulo

0
277

 

Luhan Grolla / YCP
Luhan Grolla / YCP

São Paulo  – Os ventos rondados, e variados também de intensidade, tornaram-se um desafio a mais para os 58 barcos de 11 classes, da maioria dos clubes do em torno da Represa Guarapiranga, na sétima etapa da Copa YCP (Yacht Club Paulista) em 17 e 18 de setembro. A próxima e penúltima etapa da temporada está prevista para 22 e 23 de outubro.

O diretor da Comissão de Regatas (CR), Dionysio Sulzbeck, teve de se valer de sua experiência para organizar as quatro regatas válidas pela etapa, em cada classe, exceto Optimist, com duas provas. Entre os vencedores, destaque para os que obtiveram três vitórias como, YCP Sailing Team Pajero (HPE 25); Leonardo Prioli e Gabriel Chorociejus, também do YCP (Snipe) e Ricardo Santos, do YCSA (Finn).

Líder da Copa YCP na classe HPE 25, a tripulação do Pajero leva vantagem no entrosamento. “Estamos juntos desde o início do ano, o que faz a diferença, mas apesar dos números superiores, as regatas têm sido muito equilibradas”, analisa o timoneiro André Fonseca, o Bochecha. Para o tático Juninho de Jesus, natural de Ilhabela, a “leitura” da raia exige experiência. “Na ilha, geralmente largamos no leste (vento) e vamos embora. Aqui é diferente, muitas rondadas e o nosso entrosamento é essencial”.

Vencedor na Snipe, Prioli vê a Copa YCP como nova oportunidade para a vela paulistana. “A principal missão da Copa tem sido o resgate da vela na represa. Está somando quantidade e qualidade. Corríamos com meia dúzia de barcos de Snipe na raia e hoje são mais de 20”, comemora Prioli, que aproveita a presença do amigo Ricardo Valério, o Chafa, da Finn, para acirrar saudável rivalidade entre as classes. “É pena que tem alguns barcos muito lentos na raia, que acabam atrasando a regata, alfineta Prioli”.

Chafa ouve o companheiro de clube durante o brunch que antecede a competição e apresenta sua versão. “Ainda bem que agora as largadas são separadas, assim eles (velejadores da Snipe) não atrapalham a regata”. Confraternização à parte, Chafa atesta a importância da Copa YCP. “É fundamental a união das classes em um único evento. Os principiantes ainda têm a oportunidade de velejar ao lado de André Fonseca, Felipe Furquim, Eduardo Souza Ramos e outros ídolos. É como se um garoto do futebol batesse uma bola com o Neymar”, compara Chafa, medalha de bronze na Finn.

 

Vencedores das classes mais numerosas na 7ª Etapa da Copa YCP

 

Finn – Ricardo Santos (YCSA)

Day Sailer – Arno Buchli Jr. (ASBAC)

HPE 25 – YCP Sailing Team Pajero

Laser Radial – João Hackerott (YCP)

Laser Standart – Ricardo Scheible

Snipe – Leonardo Prioli e Gabriel Chorociejus (YCP)