São Paulo – Saraelen impressiona em sua primeira temporada pelo Vôlei Nestlé

0
255

 

VOLEI

 

A jogadora é uma aposta bem sucedida de Luizomar, que a conhecia desde as categorias de base da seleção brasileira. O treinador destaca a personalidade de sua atleta


Edição – Adilson Pacheco
adilsonpachecoredacao@gmail.com
Fonte – Rafael Zito/ZDL
Post – 25/02-09:48


 

Osasco  – A temporada 2015/16 é a primeira de Saraelen pelo Vôlei Nestlé. Mesmo em seu ano de estreia, a jogadora tem mostrado a cada partida que não sentiu o peso de vestir a camisa de um dos times mais tradicionais do vôlei brasileiro. Com apenas 21 anos, a central está aproveitando as oportunidades, sendo campeã Paulista de 2015, atuando como titular em toda a competição, e correspondendo às expectativas de Luizomar e sua comissão técnica sempre que acionada nos jogos pela Superliga. Pouco antes de chegar ao time de Osasco, em 2015, Saraelen foi campeã mundial sub-23.

Com passagens por Pinheiros e São Caetano, Saraelen conta um pouco de seu começo na modalidade. “O vôlei surgiu por meio de uma oportunidade que uma amiga me proporcionou. Ela ia fazer um teste e fui junto. Tinha 15 anos e só estudava. Acabei ficando porque era muito alta, inclusive, foi ao lado do Liberatti, no Metal Clube. Comecei a treinar e joguei um campeonato regional. Em seguida, um técnico me viu e fui treinar no Ibirapuera. Fiquei lá em 2009 e em 2010 já estava no Pinheiros”, relata a jogadora nascida em Osasco.

Saraelen não esperava chegar a uma equipe grande tão jovem, mas está feliz com seu desempenho. “Costumo dizer que o vôlei me escolheu. As coisas foram acontecendo gradativamente. Quando comecei recebi o apoio de muitas pessoas. Não vou nominar senão posso esquecer de alguém e não seria justo. Todos foram muito importantes na minha vida. Conseguiram colocar o espirito de vitórias em mim e assim fui crescendo e alimentando a esperança e vontade de chegar ao meu objetivo e poder contribuir mais. O vôlei acabou me proporcionando com que o esporte fosse a minha vida”, comenta a central.

A atleta detalha como foi o primeiro contato para jogar pelo Vôlei Nestlé. “O Luizomar me procurou e passei meu contato. Ele acabou me ligando e tivemos uma conversa bacana. Ele conversou com meus pais também. Nesta primeira temporada já pude contribuir com as necessidades da equipe e sou muito grata a ele por estar aqui e ter pessoas o tempo inteiro me orientando e incentivando. É um passo de cada vez e não posso almejar algo tão distante. Tenho de esperar porque tudo tem o tempo certo”, afirma.

Um dos pontos que impressionam em Saraelen é sua personalidade. “Só existe pressão se você pensa nisso. Estou entre grandes jogadoras e tendo oportunidade de mostrar que também posso. Se encarar como pressão você acaba criando algo na sua mente antes mesmo de acontecer. Estar bem preparada ajuda sempre e a confiança é fundamental. Estou sempre pronta para as oportunidades que virão. É entrar focada em quadra e fazer no jogo aquilo que fiz nos treinos”, acrescenta.

 

Querida pela torcida, Saraelen tem até uma música feita só para ela quando está em quadra. “Não sei explicar, mas fico contente com esse carinho. O público me motiva ainda mais. Mas o atleta tem de tomar cuidado para não perder o foco. Fico muito feliz, mas só penso nisso quando acaba o jogo e tenho contato com eles na saída do ginásio. Recebo elogios e agradecimentos e tento retribuir da melhor forma possível”, conclui a central.

Aposta de Luizomar – Além de ser técnico do Vôlei Nestlé, Luizomar está sempre atento às revelações do vôlei brasileiro, pois trabalha como técnico nas categorias de base da seleção. O treinador apostou em Saraelen e um dos motivos foi sua personalidade.

“A Saraelen é uma jogadora que conheci na seleção brasileira de base. Convoquei-a em 2012 e, no mesmo ano, ela foi campeã Sul-Americana. Em 2013 ganhou o bronze no Mundial Juvenil. Ela sempre me impressionou pela personalidade forte. Uma atleta com muita raça e que gosta de desafios. Em 2014 fizemos as finais do Paulista contra São Caetano e ela não vinha sendo muito aproveitada. Fiquei de olho e quando apareceu a oportunidade de contratá-la não deixei passar. Ela ainda tem uma longa estrada pela frente, mas está aproveitando bem a oportunidade e apresentando uma evolução grande a cada dia”.

 

Tabela da Superliga


2º turno:
22/12 – Vôlei Nestlé 3 x 0 Concilig/Vôlei Bauru – Osasco
08/01 – São Bernardo 0 x 3 Vôlei Nestlé – São Bernardo
12/01 – Rio do Sul/Equibrasil 3 x 2 Vôlei Nestlé – Lages
16/01 – São Cristóvão Saúde/SCS 0 x 3 Vôlei Nestlé – São Caetano
18/01 – Vôlei Nestlé 3 x 0 Terracap/Brasília Vôlei – Osasco
02/02 – Vôlei Nestlé 3 x 0 Pinheiros/Klar – Osasco
05/02 – Vôlei Nestlé 3 x 1 Dentil/Praia Clube – Osasco
12/02 – Camponesa/Minas 3 x 1 Vôlei Nestlé – Belo Horizonte
16/02 – Vôlei Nestlé 3 x 0 Sesi-SP – Osasco
20/02 – Vôlei Nestlé 3 x 0 Renata Valinhos/Country – Osasco
04/03 – 21h30 – Rexona-Ades x Vôlei Nestlé – Rio de Janeiro (SporTV)

 

1º turno:


 

10/11 – Vôlei Nestlé 3 x 1 Rio do Sul/Equibrasil – Osasco
13/11 – Concilig/Vôlei Bauru 0 x 3 Vôlei Nestlé – Bauru
17/11 – Vôlei Nestlé 3 x 0 São Bernardo – Osasco
24/11 – Vôlei Nestlé 3 x 0 São Cristóvão Saúde/São Caetano – Osasco
28/11 – Terracap/Brasília Vôlei 2 x 3 Vôlei Nestlé – Brasília
01/12 – Pinheiros/Klar 2 x 3 Vôlei Nestlé – São Paulo

04/12 – Dentil/Praia Clube 3 x 1 Vôlei Nestlé – Uberlândia

08/12 – Vôlei Nestlé 1 x 3 Camponesa/Minas – Osasco
11/12 – Sesi-SP 1 x 3 Vôlei Nestlé – São Paulo
15/12 – Renata Valinhos/Country 0 x 3 Vôlei Nestlé – Valinhos
18/12 – Vôlei Nestlé 0 x 3 Rexona-Ades – Osasco

 

Nestlé busca sexto título –


A Nestlé tem uma história vitoriosa no vôlei brasileiro e, até o momento, possui cinco títulos da Superliga. Na década de 1990, o Leite Moça ganhou a competição nas edições de 1994/95, 1995/96 e 1996/97. O time daquele período contava com craques como Fernanda Venturini, Ana Moser, Virna e Leila. A empresa retornou ao esporte em 2009, quando assumiu a equipe de Osasco. Na segunda versão do patrocínio, o Sollys/Nestlé foi campeão em 2009/10 e 2011/12. Os dois troféus foram conquistados sob o comando de Luizomar e o time já possuía as jogadoras Adenízia, Thaisa e Camila Brait.

 Osasco também almeja o hexa – Pentacampeão nacional, o clube de Osasco também está na briga por sua sexta taça da Superliga. Com o antigo patrocinador, a agremiação subiu no topo do pódio em 2002/03, 2003/04 e 2004/05. Já com a Nestlé de parceiro, o time foi campeão em 2009/10 e 2011/12.