Dupla de brasileiros completaram nesta segunda-feira 15 dias na maior travessia transatlântica do mundo.

0
131

 

fffffffffffffffffff (1)

 

O velejador Renato Araújo disse que está quase totalmente recuperado de uma inflamação no joelho esquerdo, que o deixou fora de suas atividades a bordo por dia.


 

Edição – Adilson Pacheco
Font – TJV
Post – 9/11-13:07


 

O barco brasileiro Zetra, com a dupla Eduardo Penido e Renato Araújo, segue na sexta colocação da Class40 na disputa da Transat Jacques Vabre 2015. Em conversa por telefone via satélite na manhã de segunda-feira (9), os velejadores confirmaram que a previsão de chegada a Itajaí (SC), destino final da regata de 10 mil quilômetros, indica a segunda-feira (23), três dias a mais do que a meta estabelecida pela dupla antes da largada em Le Havre, na França. ”A chegada a Itajaí atrasou um pouco. A gente gostaria de terminar antes do dia 20, mas a tendência é passar três dias. O problema em uma das vela e a mudança de rota por causa da tempestade no início da regata interferiram no nosso andamento. Mas faz parte da prova”, disse Renato Araújo. ”No começo da prova a gente estava preocupado em não quebrar por causa das condições ruins”.

Os brasileiros completaram nesta segunda-feira 15 dias na maior travessia transatlântica do mundo. Depois de sofrer com as tempestades no início da prova no Golfo de Biscaia – parte do Atlântico entre França e Espanha, o barco Zetra teve problemas em uma das velas de proa e no enrolador. O próximo desafio – com menos vento – será a passagem pelos Doldrums, área com ventos escassos no limite entre os hemisférios. ”É uma região complicada, que pode mudar a classificação! Parece uma roleta russa e em 24 ou 36 horas tudo pode mudar. A ideia é passar na latitude 26 ou 27 graus. A medida em que chega mais perto não tem tempo de mudar de estratégia. Vamos caprichar o máximo que der, mas o fator sorte será decisivo”, contou Renato Araújo.

O velejador Renato Araújo disse que está quase totalmente recuperado de uma inflamação no joelho esquerdo, que o deixou fora de suas atividades a bordo por dias. ”Meu joelho está melhor. Em 24 horas teve uma crise inflamatória que ficou até esquisito. Mas depois de tomar os remédios melhorou 80%”, explicou.

A liderança da Class40 do Le Conservateur vem caindo drasticamente. A chegada aos Doldrums fez com que Carac Advanced Energies e V and B colassem de vez. A vantagem do ponteiro para os brasileiros também caiu de 1.200 quilômetros para menos de 800.