Regra do tripulante mirim na Semana Internacional de Vela de Ilhabela tem 20 anos

0
57

Nova geração da vela disputa regatas de alto nível em barcos maiores entre os dias 20 e 27 de julho

A regra do tripulante mirim é uma das tradições da Semana Internacional de Vela de Ilhabela, maior evento da modalidade oceano da América Latina. O evento, que ocorre de 20 a 27 de julho, no Yacht Club de Ilhabela, deve reunir um bom número de crianças e adolescentes em 2024.

Os jovens têm a chance gratuitamente de disputar as regatas em Ilhabela (SP) e continuar sua trajetória no esporte. Os tripulantes mirins podem fazer parte de todas as classes da SIVI, exceto C-30, HPE 30. Será permitida a inclusão de até um velejador de até 17 anos e com peso máximo de 65 kilos em 20/07/2024.

A ideia surgiu em 2003 no YCI em uma parceria de Cuca Sodré, diretor técnico da regata, o atleta olímpico Guga Zarif, que fez história a bordo do Áries. O objetivo era dar chance às crianças e adolescentes experimentarem as disputas na ilha com seus familiares. Além de ajudar as equipes a completar suas tripulações, já que a vela oceânica sempre usa várias pessoas nas embarcações.

”Provavelmente se não fosse a regra do tripulante mirim, eu não teria virado velejador profissional, não teria ido para olimpíadas, provavelmente a minha vida teria sido bem diferente”.

O projeto deu tão certo que o primeiro testado, aos 10 anos de idade, foi Jorge Zarif, campeão mundial de Star e Finn, e melhor atleta do Brasil em todas as modalidades em 2013. A frase acima resume a importância do projeto. Outros como ele passaram pela regra e trilharam os caminhos da vitória na vela olímpica, amadora ou profissional.

”A regata é muito importante, pois fomenta a criação de novos tripulantes. A criança do Optimist normalmente só sabe timonear, está aprendendo um monte de coisas. Isso encurta bastante a curva de aprendizagem, você consegue fazer com que a criança e o adolescente aprendam a velejar em várias funções em um período de tempo muito mais curto”.

O Optimist citado por Jorge Zarif é a classe de introdução à vela onde os pequenos fazem tudo num barquinho pequeno. Já na vela oceânica tudo muda de figura, pois para realizar uma manobra é preciso várias pessoas.

Pai de Jorginho, Guga Zarif tinha um barco de oceano pequeno, LC30, que era um veleiro para até seis tripulantes, o que tornava praticamente complicado colocar uma criança para uma disputa em alto nível, como a Semana Internacional de Vela de Ilhabela.

”Era muito penoso você colocar uma criança, um adolescente que não soubesse manejar direito, ainda mais no meu caso, que sempre foi muito grande e pesado. E aí nessa época ele e o Cuca começaram a bolar a regra do tripulante mirim, acabou que foi aprovado, deu super certo. E eu comecei a velejar no barco com ele, com a tripulação”.

”Foi muito importante pra mim porque eu velejava de Op, achava muito chato, barco lento, eu era bem ruim também, ia mal nas regatas e velejar com o meu pai, com os amigos dele num barco maior, bem mais dinâmico, fez com que eu entendesse melhor as coisas e que eu começasse a gostar também de velejar”.

Em 2024, a SIVI passou de 15 para 17 anos a idade máxima da regra do tripulante mirim, uma das novidades para a temporada que marca a 51ª edição. A idade mínima não existe.

Este tripulante mirim não pagará inscrição e o limite de peso para classe ORC será de 65kg, e o excedente inclui na pesagem total da equipe. Para as outras categorias, não será computado para verificação de limite de peso ou quantidade de atletas.

A comprovação destas condições poderá ser solicitada pela Comissão de Regata a qualquer tempo, como também na confirmação das inscrições.

Baixe o Aviso de Regata — https://tinyurl.com/3uyrmxuu

Sobre a Semana Internacional de Vela de Ilhabela

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela chega à sua 51ª edição, organizada pelo Yacht Club de Ilhabela (YCI). Este evento, o maior da modalidade na América do Sul, reúne os principais nomes do esporte no país, divididos em barcos de diferentes tamanhos e classes. Em média, mais de 120 veleiros de diversos estados e até estrangeiros participam das regatas no Litoral Norte de São Paulo.

Tradicionalmente realizada no mês de julho, a competição impacta positivamente o turismo de Ilhabela, gerando alta demanda na infraestrutura turística, incluindo hotéis, pousadas e restaurantes.

A Semana Internacional de Vela de Ilhabela se alinha com a agenda positiva dos principais campeonatos mundiais, buscando reduzir seu impacto ambiental a cada edição. Nos últimos anos, além de promover a conscientização ambiental com a redução do uso de papel e plástico, o evento também realizou ações voltadas para a limpeza e conservação dos oceanos. Ilhabela se tornou um ponto de passagem obrigatória para as baleias jubartes. O evento conta com a parceria histórica da Prefeitura de Ilhabela e da Marinha do Brasil.

Foto: Rosanne Woelz/YCI