Brasileiras e japonesas fazem semifinais do ArcelorMittal Wahine Bodyboarding Pro

0
31
Wahine Bodyboarding Pro / Divulgação

Nesta quinta-feira (25) foram disputadas as quartas de final na Praia de Jacaraípe, em Serra (ES). As capixabas Luna Hardman e Maylla Venturin garantiram vaga e vão se enfrentar em busca de um lugar na final. A outra bateria será entre Yuka Nishimura e Sari Ohhara

Duas brasileiras e duas japonesas estão na semifinal da categoria Profissional do ArcelorMittal Wahine Bodyboarding Pro, etapa feminina do Circuito Mundial de Bodyboarding, disputada na Praia de Jacaraípe, em Serra, no Espírito Santo. Nas quartas de final desta quinta-feira (25), as capixabas Luna Hardman – número 2 do mundo – e Maylla Venturin (5) avançaram e, agora, vão se enfrentar nesta sexta-feira (26) em busca da vaga na final.

A outra bateria da Pro terá a líder do ranking mundial e atual campeã, Sari Ohhara, diante de sua compatriota Yuka Nishimura (9). Luna venceu a carioca Dani Freitas para chegar à semifinal, enquanto Maylla derrotou a portuguesa Teresa Padrela. Sari passou pela também japonesa Namika Yamashita e Yuka ganhou da portuguesa Luana Dourado.

Maylla, que é de Serra e treina na Praia de Jacaraípe, foi destaque. Além de garantir vaga na semifinal da Pro, avançou também na Máster. Ela está nas quartas de final, que serão também nesta sexta, em um confronto brasileiro com Nicole Calheiros.

“Está sendo incrível para mim. Estou muito, muito feliz mesmo em participar deste campeonato. em casa, com essa galera maravilhosa torcendo para mim, essa energia gostosa. Não tem coisa melhor do que competir em casa. Está sendo tudo de bom. E deixo meu muito obrigada pela torcida”, comentou Maylla.

O Brasil, aliás, está dominando na Máster, com sete atletas entre as oito classificadas. Dani Freitas não conseguiu a classificação na Pro, mas está nas quartas da Máster. Tricampeã mundial na década de 90, enfrentará Dadá Oliveira por um lugar na semi.

“O nível das atletas é alto e a diferença vai ser a escolha de onda. Eu consegui achar boas ondas nas minhas baterias. A gente vai realizando o que sabe. Vou competir para ganhar, depende das ondas, e o que tenho certeza é que vou fazer o meu melhor”, afirmou Dani Freitas, que mora há 23 anos no Havaí e compete pela primeira vez no ArcelorMittal Wahine Bodyboarding Pro.

Quem também venceu e segue na briga pelo tricampeonato é a carioca Mariana Nogueira. A bateria desta sexta será contra Tina Falcão. E Naara Caroline terá como adversária a portuguesa Catarina Sousa.

“Competi hoje (quinta) com a Roberta (Milazzo), que é uma amiga minha de muitos anos, foi da minha equipe. Anos 80 e 90, época muito boa. Já é a terceira vez que estou aqui, participei de todas as etapas. E estarei sempre voltando”, destacou a bicampeã Mariana Nogueira, que conquistou três títulos mundiais na década de 90.

“É preciso observar muito bem o mar. E sempre digo ser muito importante ver onde está a ‘onda ‘rainha’, como chamo. Aí fazer o melhor que sabemos”, observou a portuguesa Catarina.

Luna nas quartas da Pro Junior – Quem também avançou em duas categorias foi Luna Hardman. Além da semi na Pro, garantiu vaga nas quartas da Pro Junior. A bateria, nesta sexta, será com a portuguesa Alice Teotonio. Já outra brasileira classificada, Bianca Simões,  enfrentará Aarya Tabalno, do Havaí. “Foi mais um dia bem legal. Vamos com tudo. Que tenham altas ondas”, observou Luna.

Os outros dois confrontos serão: Luana Dourado (Portugal) x Hanna Saavedra (Peru) e Emiliana Gonzalez x Constanza Soto, ambas do Chile. A francesa Emie Padois, de apenas 11 anos, ficou em terceiro na sua bateria e parou nas oitavas de final.

A categoria Open, que é amadora e não vale pela disputa do título mundial e sim para fomentar o esporte, terminou nesta quinta com a vitória da portuguesa Alice Teotonio, seguida da brasileira Victoria Moraes e da também portuguesa Filipa de Freitas.

A edição 2024 do ArcelorMittal Wahine Bodyboarding Pro tem o número recorde de 115 inscrições. São 75 atletas, de sete países – Brasil, Chile, França, Havaí, Japão, Peru e Portugal -, algumas em mais de uma categoria. Estão em disputas as categorias Profissional, Máster e Pro Junior e Open. A de Pessoas com Deficiência e a Open já definiram suas campeãs.

Comemoração com música – A etapa feminina do Circuito Mundial termina no sábado com muita música, com o Bodyboard Music, no Silva’s Beach Clube, em Serra. O evento vai receber as atletas do ArcelorMittal Wahine Bodyboarding Pro, contando com o grupo Pele Morena – samba e pagode – e o funk retrô de Jefinho Faraó.

Programação do ArcelorMittal Wahine Bodyboarding Pro 2024
– 26/04 – Semifinal da categoria Profissional e quartas de final da Máster e Pro Júnior
– 27/04 – 14h às 16h – Entrega de Premiações; 19h – Coquetel de Encerramento.

O Wahine Bodyboarding Pro 2024 tem patrocínio máster da ArcelorMittal, do Governo do Estado do Espírito Santo por meio da Lei de Incentivo ao Esporte Capixaba, e da Prefeitura Municipal da Serra, com apoio de Coroa. Realização do Instituto Neymara Carvalho e da IBC.

Link de transmissão ao vivo nesta quinta (25):

Day 4 Live stream Arcelormittal Wahine bodyboard 2024

Mais informações:
Instagram: @wahinebbpro

No ES: Lúcia Marins – luciammarins@gmail.com – 27 99943-8246

Foto: Wahine Bodyboarding Pro / Divulgação