Aluno de Projeto Social supera lesão de plexo braquial com aulas de basquete

0
46

Com mais de 17 anos de atuação, a organização social De Peito Aberto é uma colecionadora de histórias de inclusão no esporte e superação. Em Lagoa Santa, em Minas Gerais, Matheus Welington Dutra Soares, de 8 anos, superou as limitações da lesão de plexo braquial graças ao apoio do Programa Escola de Esportes.

No projeto, Matheus participa das aulas de basquete que acontecem na Escola Municipal Dona Santinha, em Lagoa Santa (MG).  Segundo a mãe, Theresa Bárbara, de 38 anos, a iniciativa em fazer a atividade foi do próprio Matheus. “A gente tinha receio, nem os médicos sabiam como lidar. Mas foi ele que veio com essa ideia. O esporte é importante para ele, porque é um momento que ele nem se lembra da lesão.”

A lesão de plexo braquial ocorre quando os nervos que controlam o movimento e a sensibilidade do braço e da mão são danificados.  Matheus teve o diagnóstico da lesão logo após o parto.

“Quando ele nasceu foi difícil a extração por conta do tamanho dele. Ao puxarem ele, arrebentou. Era um neném muito grande. Ele operou aos 9 meses, recuperou alguns movimentos. Mas é aquilo, não volta mais”, explica a mãe, que além de Matheus, tem mais um filho.

A professora do projeto, Tairis Veiga, confirma a pró-atividade do aluno.  “Ele treina como se não tivesse uma necessidade. Por mais que tenha as limitações, ele não demonstra em momento algum. É bem competitivo, alegre e esforçado. Tenho certeza que ainda vai progredir muito”.

Em Lagoa Santa, o Programa Escola de Esportes da Prefeitura Municipal de Lagoa Santa é realizado pela De Peito Aberto, por meio do por meio do Termo de Colaboração 001/2023 com a Secretaria Municipal de Bem-Estar Social. As aulas são realizadas duas vezes por semana sempre no contraturno escolar.

Theresa faz questão de deixar um recado para outras mamães que passam por situações semelhantes. “Quando a gente descobre, é normal querer proteger. Muitas vezes acabamos limitando os nossos filhos. Por isso, é importante deixarmos as crianças descobrirem a forma que elas vão fazer as atividades”.  Segundo a mãe, Matheus descobriu o seu próprio jeito de fazer as coisas, de vestir uma camiseta a andar de bicicleta.

Em 2024, a De Peito Aberto completará 18 anos de atuação. A organização social que tem como objetivo contribuir com a educação e incentivo ao esporte, já beneficiou mais de 60 mil crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e econômica no País.