Hardcore estreia nova fase, com cobertura multiplataforma do surf nacional e internacional

0
96

Veículo de comunicação mais tradicional da modalidade no Brasil passa a contar com o comando do experiente jornalista especializado em surf Adrian Kojin

O surf brasileiro conquistou sete títulos mundiais e uma medalha de ouro olímpico nos últimos nove anos. Um salto radical que mudou o patamar desse esporte no Brasil, levado ao topo em termos de reconhecimento e popularidade. Acompanhando essa evoluçāo, a Hardcore também esteve em constante mutaçāo. E segue mudando. Além de lançar hoje um renovado projeto gráfico e editorial, a publicaçāo prevê o lançamento de novos produtos e ações voltadas para o mercado do surf.

Com 34 anos de atuação ininterrupta na divulgação do surf nacional e internacional, a Hardcore inicia uma nova fase. A publicação, que nasceu jornal, virou revista, tornou-se site, bombou no Facebook e Instagram e abraçou a era digital sem medo do futuro, segue multiplataforma, com projeto gráfico adaptado a todos os tipos de telas. Para capitanear a nova linha editorial, o publisher Caco Alzugaray, à frente da editora Rocky Mountain, casa da publicação desde 2009, convocou o experiente jornalista especializado em surf Adrian Kojin.

Kojin vai liderar um time de jornalistas especializados, colunistas, fotógrafos e videomakers colaboradores espalhados pelo mundo, empenhados em uma cobertura 360 graus do surfe. O projeto prevê contar boas histórias e mostrar os extremos da modalidades, desde projetos de inclusão social, mobilidade e preservação do meio ambiente, passando pelas novas tendências – como as piscinas de ondas – chegando aos grandes campeonatos nacionais e internacionais, com destaques para os surfistas brazucas, como os campeões mundiais Gabriel Medina, Adriano de Souza, Ítalo Ferreira e Filipe Toledo.

“Em 2024, a Hardcore  vai completar 35 anos de presença continua na vida dos surfistas brasileiros, a mídia especializada em surf mais longeva do país. Não pegou carona em ondas de momento, já exaltava o surf nacional bem antes da “Brazilian Storm”. Aliás, foi participante decisiva no processo que culminou com o atual domínio do surf brasileiro no cenário mundial”, atesta Adrian Kojin, que já colaborava com a Hardcore há mais de um ano e traz a experiência de trabalhos no comando das revistas Fluir e The Surfer’s Journal Brasil, além de colaborações com renomados veículos internacionais, como as revistas Surfer e Surfing, e o site Surfline, do qual foi editor no Brasil.

Sobre as ondas – A cobertura esportiva seguirá em destaque. Os grandes campeonatos, o desempenho dos brasileiros no circuito mundial e os Jogos Olímpicos estão entre os temas de coberturas mais que especiais. As novas tendências não ficarão de fora. Entre eles, as piscinas de onda, já que o Brasil está entre os países que abraçaram essa tecnologia de forma mais intensa. Já estão em plena operação, e fazendo muito sucesso, dois empreendimentos no estado de São Paulo, com outro recém-inaugurado em Santa Catarina.

Time de peso – Para levar informação de qualidade, dosando opiniões e fatos na medida exata, Hardcore estreia um time de nove colunistas. Entre eles, o tricampeão mundial de longboard, Phil Rajzman, e o preparador físico do três vezes campeão mundial Gabriel Medina, Allan Menache, além de jornalistas e fotógrafos renomados no meio, como o próprio Adrian Kojin. Completam o time de colunistas Alex Guaraná (competidor amador e jornalista especializado) Edinho Leite (com mais de 50 anos de surf, competiu profissionalmente até 1990), Jair Bortoleto (Fotógrafo, jornalista, curador e shaper), Janaína Pedroso (jornalista especializada em surf) e José Eduardo Gonçalves Sanches (CEO da agência de viagens especializada em surf Dreamsurf Experience).

Mais informações:
Site: https://hardcore.com.br/
Instagram : https://www.instagram.com/revistahardcore/
Fan page – https://www.facebook.com/revistahardcore/
Youtube – https://www.youtube.com/@revistahardcoreoficial/

Foto: Hardcore / Divulgação