Jonas Muro Gomes é o único brasileiro na Regata MiniTransat  com o seu veleiro   veleiro Borrachudo

0
234

 

O  início da primeira etapa da Mini-Transat  será dado nesta segunda-feira, às 13h30, os 90 velejadores deixaram o pontão Vendée Globe pela manhã para chegar à área de largada.

Um momento à parte. O tempo dos abraços, do estresse que escondemos da melhor forma possível e das lágrimas que escapam na hora do “adeus”.

Um ousado brasileiro é o único representante do país do futebol – Jonas Muro Gomes, é o único brasileiro na Regata MiniTransat  com o seu veleiro   veleiro Borrachudo

 

Tudo começou em 1977

Criada em 1977 por Bob Salmon com o objetivo de se reconectar com o espírito aventureiro das primeiras viagens transatlânticas, e organizada todos os anos ímpares desde então, a regata, a 24ª edição do evento que terá início em 24 de setembro de 2023 reunirá 90 velejadores, incluindo futuros grandes nomes da vela e outros que vieram realizar um sonho do mar, de liberdade.

E por um bom motivo, disputado sozinho e sem assistência a bordo de veleiros de 6,50 metros, o evento é uma verdadeira escola de corrida offshore, onde o capitão deve ser versátil e autônomo para mover seu barco para frente, apesar da exigência do exercício.

Porque sim, uma travessia do Atlântico, sem rota meteorológica por satélite ou qualquer contato com a terra, aliás, não é trivial.

“Tirando as corridas de volta ao mundo, não conheço uma corrida tão extraordinária. Há tantos vencedores possíveis quanto competidores no início”, diz Jean-Luc Van Den Heede, que agora tem mais de uma dúzia de circum-navegações em seu crédito.

Como de costume, a travessia ocorrerá em duas etapas, em uma nova rota, partindo da cidade de Les Sables d’Olonne, com escala em Santa Cruz de La Palma, nas Ilhas Canárias, e depois chegada em Saint-François, em Guadalupe. O suficiente para garantir a todos uma experiência forte, rica em emoções contrastantes!