Barco brasileiro SCBrasil Team na The Ocean Race vai lançar Programa de Sustentabilidade Oceano 365

0
123
Aves sobre um isopor, imagem registrada em Ilhabela – Foto Adilson Pacheco – RN-MN

A preocupação  com a preservação dos oceanos  é  foco da The Ocean Race, trilhando pela mesma linha de ação, a SCBrasil – a empresa náutica brasileira lança em julho o Programa “SCBrasil Oceano 365”.

O Programa visa agregar instituições, ongs, setor púbico e privado para um desenvolvimento integrado de ações de preservação dos rios e oceanos  a  ser  desenvolvido.

A linguagem do Programa “SCBrasil Oceano 365 é – “tudo começa no rio +praia+ eu” .

O Programa será apresentado dentro do  Ciclo de Workshops Corporativo Náutico, o primeiro ocorre em Itajai.

 

 

Deputada Paulinha

“ Agora vamos ter  uma embarcação brasileira, SCBrasil Esporte Náutico. Nós temos que erguer forte esta bandeira do Brasil nesta disputa”, a declaração é da deputada estatual de Santa Catarina  Ana Paula da Silva,  a Paulinha. Ele se refere ao único barco brasileiro inscrito na The Ocean Race, edição 2023, o SCBrasil Team, na categoria Imoca, com base em Santa Catarina.

Para a parlamentar catarinense, que  vem acompanhando o  a The Ocean Race, desde de 2014, ocasião que era prefeita de Bombinhas e  esteve em Alicante, Espanha, sede das organizações  regata volta ao mundo, na largada da edição 2014-2015 da The Ocean Race . “ Muda tudo, muda tudo. Claro, que ter a parada, participar do evento é relevante.  Mas os corações brasileiros vão se misturar nesta atividade. E como ter um piloto de Formula 1 brasileiro, como tínhamos o Ayrton Senna, é isto. E ter o nosso sangue segurando também um leme, conduzindo uma embarcação,  e dizendo : nós estamos presentes na atividade náutica mundial”, concluiu a deputada catarinense.

https://www.instagram.com/scbrasilteam/

Projeto da SCBrasil é para três edições

O Projeto da Empresa SCBrasil Esporte Náutico é participar da regata The Ocean na edição 2023,  e nas próximas três edições.  Para os diretores da única empresa  brasileira, com um barco inscrito no terceiro maior evento do mundo é principal no esporte náutico mundial . Não se pode entrar em um evento deste porte mundial, para somente uma edição. Ainda mais no Brasil, onde ainda não se tem a cultura  voltada para o esporte náutico de grande rendimento.

Os diretores, integrado por Adilson Pacheco e Jaqueline Gazaniga, apontam ainda que  tripulação do barco brasileiro, já está na fase de finalização,  o que deve acontecer  partir da entrada de recursos provenientes de investidores patrocinadores,  quando os velejadores em número  seis, mais a equipe de terra entra em um treinamento intensivo, se preparando para a grande largada no dia 14 de janeiro 2023.  Eles adiantam,  o barco de categoria Imoca, nesta edição será usado um veleiro usado, em aquisição na Europa.

A participação dos diretores da SCBrasil como um dos palestrantes do Vela Show – maior feira de vela d américa, serviu para a empresa fazer  o lançamento nacional do projeto – e com a participação, ampliou o número de empresas interessadas em investir no barco brasileiro@

EUROPA

Já visando o mercado náutico esportivo europeu e  manter contato com  investidores,  a sócia diretora da SCB, Jaqueline Gazaniga viaja em agosto para atividades empresariais náuticas na Europa –  e uma visita à  sede da The Ocean Race, em Alicante, Espanha.

Projeto SCBrasil

– Um projeto voltado para as empresas e marcas com interesse de exposição mundial e de negócios. Em um País de vocação náutica como o Brasil, a meta da SCB é a  formação de um pool de recursos para a sua viabilização, com investidores públicos e privados.

A primeira e única vez em que o Brasil participou do terceiro maior evento do planeta – ao lado da Fórmula 1 e do futebol – foi na edição de 2005/06 com o barco Brasil 1, idealizado pelo velejador e empresário Alan Adler. No comando do veleiro estava o medalhista olímpico Torben Grael e, entre os tripulantes, o catarinense André “Bochecha” Fonseca.

Com uma exposição mundial durante oito meses e passando por 10 portos (cidades-sede), a The Ocean Race atinge uma visibilidade de 3 bilhões de pessoas, em mais de 130 países – em redes sociais, TVs, rádios e jornais -, gerando mais de 10 bilhões de receita econômica em toda cadeia produtiva mundial.

Um barco com tripulação brasileira num evento mundial busca atrair a atenção da mídia, fãs e seguidores. Visa criar atenção para as marcas dos patrocinadores e geração de negócios. Estimular torcida em torno de heróis que irão participar da regata mais rigorosa e temida do mundo.