Lenda do Barça, ​​Sergio Busquets supera Andrés Iniesta e se torna o terceiro com mais jogos pelo clube

0
72
#PlayLaLigaSantander

 

Desde que Pep Guardiola o promoveu ao time principal em 2008, Busquets só cresceu e ainda é uma figura-chave para o clube e a seleção até hoje.

Quando Sergio Busquets estreou no Barcelona em um empate de 1 a 1 com o Racing Santander em setembro de 2008, poucos podiam imaginar o quão importante ele se tornaria e com que rapidez. O novo técnico do Barça naquele momento, Pep Guardiola, o tirou do banco e o fixou no meio-campo, onde permanece até hoje.

]

#PlayLaLigaSantande

Busquets ainda é um jogador importante para os Blaugrana sob o comando de seu atual técnico e ex-companheiro de equipe Xavi Hernández, fato refletido no feito do meio-campista, que atingiu um marco significativo na noite de quinta-feira. Ao ser titular contra a Real Sociedad na LaLiga Santander, Busquets ultrapassou Andrés Iniesta para se tornar o terceiro jogador do Barcelona com mais jogos na história do clube — com 675 e contando.

À sua frente estão apenas seu atual treinador, Xavi, com 767, e Lionel Messi, que jogou pelo clube um recorde de 778 vezes, estatísticas que destacam o legado de Busquets ao longo de mais de uma década no Camp Nou.

Sua galeria de troféus é mais uma prova, com oito triunfos da LaLiga Santander e três troféus da UEFA Champions League, entre vários outros prêmios e títulos, incluindo a Copa do Mundo de 2010 com a Espanha.

 

Apesar de seus muitos sucessos, Busquets não é um jogador ou pessoa que procura ser o centro das atenções e muitas vezes está no seu melhor quando passa despercebido, puxando silenciosamente as cordas do meio-campo do Barça trabalhando o jogo desde trás.

Embora alguns se perguntassem se ele estava em declínio, aos 33 anos, a chegada de Xavi e a restauração do jogo tradicional do Barcelona deram a Busquets um segundo fôlego.

O rápido crescimento de Busquets sob Guardiola e Del Bosque

Foi uma escolha ousada de Guardiola apostar no jogador de 20 anos em 2008, mas que rapidamente pagou dividendos quando o Barcelona atingiu uma notável tríplice coroa. A vitória na final da Champions League sobre o Manchester United em Roma em 2009 permitiu que Busquets seguisse os passos de seu pai Carles, o ex-goleiro do Barça que venceu a competição em 1992, ainda que como substituto.

“Ele joga sempre pensando nos outros”, explicou Guardiola. “Ele entende as mensagens imediatamente, sabe o que a equipe precisa e se adapta a ela com discrição, vê problemas e oferece soluções. Ele joga com simplicidade e clareza”.

O técnico da Espanha, Vicente del Bosque, como muitos que assistiram à temporada de estreia de Busquets no Barça, foi rápido em levá-lo para a seleção e depois recriou o trio de meio-campo do clube catalão na Copa do Mundo da África do Sul em 2010, com a Fúria levantando o troféu pela primeira vez.

“Você assiste ao jogo, você não vê Busquets”, disse Del Bosque. “Você assiste Busquets, você vê o jogo inteiro.”

O atual técnico da Espanha, Luis Enrique, é igualmente fiel a Busquets, que atualmente já fez 133 jogos por seu país, o que significa que está empatado com Xavi e atrás apenas de Sergio Ramos (180) e Iker Casillas (167).

Apesar de ter jogado como atacante nas categorias de base antes de se mudar para o Barcelona, ​​a sua carreira profissional tem sido no meio-campo defensivo e Busquets não é conhecido pelos seus gols, com apenas 17 nos últimos 14 anos. Ele pode não ser particularmente rápido ou forte, mas sua leitura do jogo e inteligência futebolística são excepcionais.

Um princípio do jogo posicional do Barça, sempre no lugar certo na hora certa, o que torna Busquets tão brilhante é a mesma coisa que talvez lhe negue os mesmos elogios que são concedidos a alguns de seus ex-companheiros de equipe.

No entanto, quem está no comando do time, de Guardiola a Xavi, passando por Luis Enrique, sabe o quão crucial ele é e isso se reflete nos números, pois ele passa Iniesta e se coloca entre os três maiores jogadores da história do Barcelona.