Mais próximo – Navio – MSC pode fazer uma escala teste de um de seus transatlânticos na Ilha de Santa de Santa Catarina

0
11

 

Divulgação
Divulgação

Santa Catarina está se voltando por inteira para a economias do mar. Depois de Balneário Camboriú agora é a vez da Ilha de Santa Catarina entrar na rota dos cruzeiros marítimos. Consolidado o litoral catarinense fica com seis pontos para atração de cruzeiros, Itajaí, São Francisco do Sul, Porto Belo e Balneário Camboriú e em projeto a Ilha dos catarinenses. Pois é, o setor passou a ter maior agilidade a partir da ingresso do presidente da Acatmar, Mané Ferrari na gerencia Aquaviário da Secretaria da Infraestrutura do Governo do Estado.

Na manhã dequinta-feira,22, no gabinete do prefeito Gean Loureiro com a Secretaria da Infraestrutura do Estado e a Prefeitura, foi confirmado o interesse da operadora MSC de fazer uma escala teste de um de seus transatlânticos na Ilha de Santa de Santa Catarina, onde fica localizada Florianópolis – na próxima temporada que começa em novembro de 2017 e vai até abril do próximo ano.

Duas opções estão sendo estudadas para receber o navio: Jurerê e Canasvieiras. “A Secretaria da Infraestrutura já está tomando todas as medidas para transformar a ideia em realidade”, salientou o gerente aquaviário da pasta, Mané Ferrari.

A diretora operacional da MSC, Eliane Lira afirmou que a escala é viável “O passo é assinarmos uma carta de intenções com o objetivo de concretizar esta operação. Nosso compromisso é, tendo toda Infraestrutura, vamos fazer uma escala teste em Florianópolis quem sabe ainda nesta temporada”, disse Lira.

“Para Florianópolis é muito importante. Há o envolvimento de todos os setores, empresarial e público, para gerar está nova opção de turismo na capital”, avaliou o prefeito Gean Loureiro.

“O encontro surtiu efeitos positivos, na medida em que caminhamos para a inclusão de Florianópolis na rota dos transatlânticos desta operadora mundial, com a junção de esforços do governo do estado e prefeitura, em conjunto com o setor privado”, concluiu o secretário da Infraestrutura, Luiz Fernando Vampiro.