Espanha- PalmaVela de Mallorca com 100 barcos no penúltimo dia da regata

0
65

Após um dia lento de sexta-feira pontuado por uma longa espera para que a brisa reaparecesse, a Baía de Palma regressou ao que hoje pode ser considerado ‘serviço normal’ para os 100 barcos em regata no penúltimo dia da regata de PalmaVela de Mallorca.

Para os grandes barcos houve duas boas regatas que os mantiveram no horário para terminar com uma última regata no domingo, o que significaria que o complemento completo das regatas teria sido navegado. A brisa de hoje foi tão fiável que até as tripulações do ClubSwan 42s e dos Dragões, que foram trazidos de volta à pista com três regatas, voltaram à costa no Real Club Náutico de Palma com muito tempo para desfrutar do sol quente da tarde, apreciar o ambiente e comparar notas.

 

 

Na divisão Maxi do IRC-IMA, o Wally Cento Galateia continuou uma corrida vencedora que garante que os Dragões receberão as melhores honras no domingo. Mais duas vitórias, ambas por mais de dois minutos, vêem-nos subir seis pontos na frota de sete barcos com uma última regata para velejar no domingo.

Para o navegador britânico Simon Fisher, vencedor da Volvo Ocean Race da Galateia, que está a treinar para fazer a regata The Ocean Race numa IMOCA, um regresso à regata mediterrânea “ao ar livre” ao sol – de volta ao largo com uma grande e bem perfurada equipa – em vez de se atirar com a mão curta através de um oceano “dentro” de uma IMOCA, esta regata PalmaVela representa uma bem-vinda mudança de disciplina. Hoje Fisher – que iniciará a sua sexta Corrida Oceânica no próximo mês de Janeiro – prestou homenagem ao trabalho de tripulação e às tácticas inteligentes como componentes essenciais no punhado de vitórias consecutivas da Galateia:

“É fantástico estar aqui, Palma é um excelente local e embora a brisa seja geralmente fiável, não tem sido fácil, bastante interessante correr aqui no início da época, onde há um pouco mais de variabilidade entre a brisa do mar e as brisas de terra”. Fisher sorriu, acrescentando: “Foi mais um bom dia na água para nós. Toda a gente no barco está a velejar muito bem. As manobras da nossa tripulação são boas, as nossas tácticas são boas, estamos a começar bem o barco e o barco está a ir depressa. As novas velas de proa fizeram a diferença e os rapazes estão sempre a trabalhar para melhorar o barco. E por isso é agradável que o seu trabalho esteja a dar os seus frutos. O desempenho a toda a volta é bom. É gratificante que ponhamos o trabalho a trabalhar para ser um pouco mais rápido a cada ano, e aqui estamos nós”.

A brisa instalou-se mais à medida que as temperaturas diurnas aumentavam, sendo a primeira regata a mais difícil:

“ Foi uma brisa complicada e cheia de rajadas na primeira corrida…grandes folhados e grandes mudanças de direcção. Conseguimos uma boa partida e conseguimos depois controlar a frota Aquela primeira corrida em que fizemos mais tácticas na primeira batida do que fizemos durante muito tempo e depois foi um pouco de lado a lado na corrida. A segunda corrida foi mais do mesmo, tivemos uma boa partida e Jordi (Calafat) e Murray (Jones) colocaram-nos onde queríamos estar, seguindo o caminho certo”. O navegador britânico concluiu.

Nova experiência.

E enquanto Fisher, o estratega Murray Jones e Jordi Calafat, estratega, e toda a tripulação da Galateia conhecem intimamente a Baía de Palma e todas as suas fraquezas do início da estação, para a tripulação alemã do Kiel YC 34ft Italia 9,98 Immac Fram estas águas são inteiramente novas.

Eles múltiplos campeões alemães do ORC que já foram vice-campeões de classe no ORC Worlds optaram por renunciar às delícias do norte da Alemanha nesta temporada e fazer campanha no Med, aspirando a ganhar a sua classe na Copa do Rei MAPFRE deste Verão. Liderada pelo corretor de iates de Hamburgo Kai Mares no leme, a equipa do Immac Fram mantém à distância os seus compatriotas alemães baseados em Palma no J/99 Meerblick Fun. Mas com uma vantagem de apenas um ponto, os seus 11 fortes ORC Classe 4, serão decididos no domingo. A ilha de Scott Beattie, baseada na bandeira britânica J/97 de Andratx Just the Job é a terceira.

“Temos uma boa competição com o J/99 e o J/97 há pouco e isso é óptimo, à medida que vamos subindo para a Copa del Rey MAPFRE. Estamos a desfrutar da competição e, acima de tudo, do tempo. Ontem, desfrutámos da corrida costeira. Hoje chegámos demasiado cedo à linha de partida e tivemos de voltar atrás e por isso ficámos em quarto lugar, mas na segunda corrida vencemos”. Recordando o leme Mares, “Sempre quisemos vir à Baía de Palma para correr e vamos ficar aqui e fazer a Copa del Rey MAPFRE no Verão”. Normalmente competimos nos campeonatos alemão, europeu e mundial e estaremos de volta a Kiel para o campeonato mundial do próximo ano”.

Aifos 500 no comando

O bem conhecido TP52 Aifos 500 da Marinha espanhola lidera o ORC Classe 0-1 por um ponto a partir do Cisne 45 Brujo. O Aifos 500 teve um primeiro e um terceiro lugar no dia, um resultado sólido apreciado tanto pelo núcleo de profissionais mais velhos a bordo como pelos jovens marinheiros da Marinha que trabalham arduamente. O veterano marinheiro da Taça América Italiana Alberto Barovier relata: “As condições eram óptimas com um vento agradável. Ainda estamos à frente por um ponto. Estou contente. Temos alguns jovens da escola naval espanhola a bordo e, por isso, há uma boa aprendizagem a decorrer, o que é bom. Eles são bons jovens e empurram com muita força, como todos nós fazemos. E por isso está muito perto no topo e vamos terminar com uma corrida costeira. Portanto, será um final complicado”.

Nicolás González Dufour 40 Lady está invicto após as três corridas realizadas até à data pelo ORC Classe 3 e assim lidera a divisão. O ClubSwan 42 uma classe de desenho irá para o arame como um ponto separa o líder Nadir do rival Pez de Abril após seis regatas e estes dois barcos já estão assegurados de ocupar os dois primeiros lugares da classe. Uma vitória na última regata do dia mantém a medalhista de prata Natalia Vía-Dufresne e a sua tripulação no topo da classe J/80, enquanto há um empate a três na classe Dragon entre YeahNah (Torvar Mirsky, AUS), Galant (Jan Strombeck, SWE) e Pow Wow (Michael Zankel GER).

 

 

IRC/IMA MAXI YACHTS
1. Galateia, David M. Leuschen, (1)+1+1+1+1=4
2. Magic Carpet 3, Sir Lindsay Owen-Jones, 3+2+(4)+2+3=10
3. Bullit, Andra Recordati, (4)+3+2+4+2=11

CLUBSWAN 42
1. Nadir, Pedro Vaquer, 1+1+2+3+1+2=10
2. Pez de Abril, José María Meseguer, 2+4+1+1+2+1=11
3. Long Echo, Barry Sampson, 3+3+4+2+5+4=21

ORC 0-1
1. Aifos 500, Jaime Rodríguez Toubes, 1+(5)+1+3=5
2. Brujo, Alberto de Castro, (7)+2+2+2=6
3. Urbania, Tomas Gasset, 5+1+(8)+1=7

ORC 2
1. Elena Nova, Christian Plum/Javier Sanz, 1+1=2
2. Histolab, José Juan Torres, 4+2=6
3. Plan B, Christoph Mann, 2+5=7

ORC 3
1. Lady, Nicolás González, 1+1+1=3
2. Shazam, Phjillip Seippel, 3+3+3=9
3. Viking IX, Erik Tejedor, 5+4+2=11

ORC 4-5
1. Immac Fram, Kai Mares, 1+4+1=6
2. Meerblick Fun, Gabriele Pohlmann, 3+2+2=7
3. Just the Job, Scott Beattie, 6+1+3=10

J80
1. Dorsia Covirán, Natalia Vía-Dufresne, (3)+1+1+3+2+1=8
2. AGD Desamiantados, Helena Alegre, 2+2+(3)+2+1+2=9
3. Aloja, Kristyn Gills, 1+(3)+2+1+3+3=10

Dragon
1. Yeahnah, Ben Kolff, 1+1+5+2+(7)=9
2. Galant, Jan Strombeck, 4+3+1+1+(6)=9
3. Powwow, Michael Zankel, 2+2+(4)+3+2=9

Spirit of Tradition
1. Legolas, Jens Ricke, 2+1=3
2. January Sails, Gabriel Catalá, 1+2=3
3. Nostromino, Jesper Bank, 3+3=6

ORC A2
1. Kyo V, Guillermo Durán, 1=1
2. Blue Flag, Matías Gil, 2=2
3. Blaumarina I, Miguel Roig, 3=3