BLACK FRIDAY EM PORTUGAL

0
653
Black Friday no Shopping Colombo em Lisboa / Portugal.

 

Black Friday no Shopping Colombo em Lisboa / Portugal./Divulgação

Uma das colunas que mais faz sucesso no @voumudarparaportugal, o Instagram da Pati Lemos, e no canal homônimo do Youtube, é o Caro ou Barato. Pati Lemos é uma verdadeira expert nos preços dos produtos e serviços em Portugal, e nessa época de Black Friday, ela mostra tudo para os seus seguidores.

Em Portugal, a busca desenfreada pelos produtos, que faz as pessoas passarem a madrugada nas filas antes das lojas abrirem, ocorre em muito menor grau. “Os portugueses são mais conscientes em relação ao consumo e só vão comprar o que realmente precisam e se estiver de fato com um preço vantajoso”, afirma Pati Lemos.

 

 


Mais Portugal:

Primeira> Coluna Conexão Europa – Portugal fora da The Ocean Race – Fiesc em Portugal – Entrevista com velejador Renato Conde

Patrícia Lemos : Vale a pena se mudar para Portugal?


Além disso, existem órgãos como o DECO-Proteste, o “Procon português”, que oferecem ferramentas para o consumidor comparar os preços das lojas ao longo do tempo, minimizando o que se convencionou chamar de Black Fraude.

A Black Friday em Portugal é um fenômeno relativamente recente, comparado ao Brasil, mas vem crescendo ano a ano com a adesão hoje de praticamente todo o varejo português. Porém as campanhas publicitárias ainda são tímidas e mais restritas à data em si, diferente do Brasil em que a Black Friday às vezes começa um mês antes!

As redes mais agressivas são do segmento de tecnologia, eletroeletrônicos e eletrodomésticos. A Worten, a FNAC e a MediaMarkt são 3 boas dicas de locais onde encontrar boas ofertas.

Pati Lemos já decidiu que vai usar a data para comprar alguns móveis e objetos de decoração para casa além de alguns equipamentos eletrônicos para ajudar na produção dos vídeos do seu canal. E Pati dá a dica para quem estiver em Portugal na sexta-feira: “Aproveite a data, mas com moderação, porque depois a conta vem em euros!!”

Em Portugal, há um volume muito menor de compras on-line comparadas ao varejo físico. “Apesar da comodidade e da segurança do varejo nos meios digitais, os portugueses preferem mesmo é ir às lojas”, diz Pati.