2,5 milhões de pessoas visitaram às 12 Vilas da Regata: Resultados recordes da Volvo Ocean Race 2017-18

0
55
E foi nos momentos finais que o Dongfeng Race Team, do skipper Charles Caudrelier, surgiu como o líder à frente do MAPFRE e do Brunel, e assim alcançou o lugar mais alto do pódio.
E foi nos momentos finais que o Dongfeng Race Team, do skipper Charles Caudrelier, surgiu como o líder à frente do MAPFRE e do Brunel, e assim alcançou o lugar mais alto do pódio.

 

A mais recente edição da Volvo Ocean Race, que começou em Alicante, Espanha, em outubro de 2017 e terminou em Haia, na Holanda, em junho de 2018, será recordada como a mais disputada de sempre, bem como um evento recorde em muitos níveis.  A cidade brasileira de Itajaí – recebeu em abril a terceira edição da regata volta ao mundo, nesta edição o Brasil foi representada entres os velejadores dos sete barcos participantes pela medalhista olímpica Martine Grael, a bordo do veleiro holandês AkzoNobel. Esta edição 2017/2018  da Volvo Ocean Race será recordada como a mais disputada de sempre, bem como um evento recorde em muitos níveis.

Depois de percorrer 45.000 milhas náuticas ao redor do mundo, três equipas partiram para a última etapa, um sprint até Haia, com hipóteses de se sagrarem vencedoras. E foi nos momentos finais que o Dongfeng Race Team, do skipper Charles Caudrelier, surgiu como o líder à frente do MAPFRE e do Brunel, e assim alcançou o lugar mais alto do pódio.

Nunca houve uma edição como esta ao longo dos 45 anos da prova. No final de 126 dias de competição, o que separou os dois primeiros foram apenas 16 minutos.

Mas, além da ação da água, a edição de 2017-18 também estabeleceu recordes noutras vertentes. Mais de 2,5 milhões de pessoas visitaram os stopovers da prova, colocando a Volvo Ocean Race no top dos eventos desportivos internacionais, e novas marcas foram estabelecidas em todos os aspetos do envolvimento dos fãs e da cobertura mediática.

 

A Volvo Ocean Race 2017-18 em números: (em comparação direta com os números da edição de 2014-15, sempre que possível):

2,5 milhões de pessoas visitaram as 12 villages da prova (+ 4% em relação à edição anterior)

94.200 convidados corporativos (+ 26%) participaram em eventos durante a prova, incluindo mais de 6.500 participantes no programa Guest On Board – Mais de 3.300 horas de transmissão de televisão, geraram 429 milhões de euros em publicidade (+ 46%)

Houve uma audiência TV acumulada de 2,2 biliões de telespectadores (+ 45%) – Foram produzidas 194 horas de transmissões ao vivo

1,9 biliões de impressões nas redes sociais, incluindo 200 milhões de visualizações de vídeos

13,7 milhões de likes nas redes sociais

Mais de 400.000 comentários em posts do Instagram

Mais de 1 milhão de comentários sobre conteúdos da prova no Twitter e 9 milhões de retweets

O tempo médio de visualização por vídeo no YouTube foi superior a 9 minutos

A média de posts no Facebook atingiu 398.000 utilizadores – O video mais visto nas redes sociais foi visualizado mais de 23 milhões de vezes

O valor do retorno nas redes sociais foi de 71 milhões euros

71.000 artigos on-line (+ 10%) e 7.500 (+ 4%) notícias impressas geraram 95 milhões de euros em valor de publicidade

www.volvooceanrace.com acolheu 174 milhões de page views (+72%) com os visitantes a permanecer uma média de mais de 4:20 (+ 149%) no site

A app oficial foi descarregada mais de 537.000 vezes (+ 38%)

O tracker oficial da prova acolheu 111 milhões de sessões exclusivas (+ 186%)

A audiência da TV digital (OTT) foi de 342 milhões, gerando 67,8 milhões de euros em retorno de publicidade

Mais de 4.300 orgãos de comunicação foram acreditados para cobrir a prova (+ 4%)

Antes da prova ter início, a partir da sua base em Lisboa, Portugal, o The Boatyard fez um refit de 15 semanas e 6.000 horas de trabalho a cada um dos sete VO65, preparando a frota para a edição mais disputada da história

O início da prova em Alicante, teve um pacto na economia de 96 milhões de euros na economia espanhola e gerou um equivalente a 1.696 empregos permanentes A Volvo Ocean Race 2017-18, também estabeleceu um novo padrão na forma de como um grande evento desportivo internacional pode integrar os esforços de sustentabilidade como um valor central. Ao proibir plásticos descartáveis nas Race Villages, evitamos o uso de mais de 388.000 garrafas plásticas.

 

Brasil foi representada entres os velejadores dos sete barcos participantes pela medalhista olímpica Martine Grael, a bordo do veleiro holandês AkzoNobel.
Brasil foi representada entres os velejadores dos sete barcos participantes pela medalhista olímpica Martine Grael, a bordo do veleiro holandês AkzoNobel.
  • Outros destaques do Programa de Sustentabilidade incluem:

7 Ocean Summits decorreram em vários stopovers, com mais de 2.050 oradores e participantes

Mais de 114.000 crianças de 40 países participaram no Programa de Educação

404.000 pessoas visitaram a exposição sobre sustentabilidade no The Globe

30 bóias científicas foram largadas pelos barcos em partes remotas dos oceanos

93% das amostras de água recolhidas pelas equipas durante a prova em alguns dos oceanos mais remotos do mundo, mostraram conter partículas de microplásticos

A edição de 2017-18 marcou o fim do mandato da Volvo como proprietária do evento. Um novo grupo de proprietários, liderado por Richard Brisius e Johan Salén, impulsionará o evento, com a Volvo a permanecer como um parceiro comercial significativo.

“Quando olhamos para o que foi alcançado nesta última edição, a fasquia foi colocada num nível muito alto”, disse Brisius. “As equipas e os velejadores tiveram desempenhos incríveis na água, o que levou a uma competição com uma narrativa convincente.”


 


assine mkt anuncie1


 

“Tivemos uma estratégia inovadora, ao fazer uma forte aposta nos canais digitais, permitindo que nossos fãs se envolvessem mais facilmente com os nossos conteúdos nas plataformas da sua preferência, e isso criou um valor real para os nossos stakeholders”

“Também estamos muito orgulhosos dos resultados do nosso programa de sustentabilidade, desde os Ocean Summits até ao programa de educação e pesquisa científica que pudemos proporcionar. Olhando para o futuro, esta será uma área na qual apostaremos ainda mais na próxima edição.”

A edição de 2021-22 começará em Alicante, Espanha, no outono de 2021, e terminará na Europa no início do verão de 2022, com até nove portos de escala. A rota completa da prova será confirmada no verão do próximo ano.

Duas classes de barcos vão competir na próxima edição, os IMOCA 60s de alta tecnologia, e os VO65s com um design que levou a uma regata tão disputada na última edição.

“O interesse de velejadores e equipas em participar na próxima edição é muito alto”, disse Salén. “Adicionar a classe IMOCA 60 à frota VO65 existente traz de volta um elemento de conceito e tecnologia, que tradicionalmente tem feito parte da prova. Ele adiciona outro nível de complexidade ao projeto, o que é interessante para os velejadores, arquitetos e engenheiros, mas também para os fãs.

“Pretendemos emitir a Notice of Race e abrir o período de inscrições no próximo mês e, ao mesmo tempo, iniciamos o processo de identificação das cidades-sede para as escalas. É um período empolgante para a prova e para as partes interessadas na medida que tentamos aproveitar o sucesso da última edição”concluiu.


 

Fonte: Volvo Ocean Race