Alemanha – Vela brasileira estreia no Grand Slam de Hamburgo com sete medalhas olímpicas

0
129

Torben

Torben Grael, com cinco pódios olímpicos, e Bruno Prada com dois, representam o País a partir desta terça (3) na Star Sailors League no Lago de Alster, na Alemanha




 

Hamburgo – O inédito City Grand Slam da Star Sailors League (SSL) será um desfile de medalhistas olímpicos e campeões mundiais a partir desta terça-feira (3) no Lago de Alster, no centro da cidade de Hamburgo. Entre as 90 duplas inscritas, o Brasil será um dos 20 países mais bem representados na Alemanha. Torben Grael, com cinco medalhas olímpicas (dois ouros, uma prata e dois bronzes) vai correr com o italiano Stefano Lillia. Bruno Prada (uma prata e um bronze) terá como parceiro o norte-americano Augie Diaz, mesma dupla que acaba de conquistar o Mundial de Star em Miami.

Para o bicampeão olímpico Torben,


 

as condições do lago não permitem que se façam projeções. “A raia é bem estreita por isso não dá pra dizer que existem favoritos. Tem de velejar para se divertir e vamos ver o que acontece”. O tetracampeão mundial de Star, Bruno, segue na mesma linha do amigo Torben. “As regatas serão muito difíceis, desafiadoras. Cada perna não deve medir nem um quilômetro e todo mundo vai chegar junto na boia de contravento. Como haverá três flotilhas, o jeito é tentar manter-se entre os cinco primeiros para passar de fase”, recomenda o velejador do Yacht Club Paulista. “Temos de comer o que põem na mesa”.
O Brasil terá ainda a dupla Francisco Siemsen e Arthur Lopes, o Tutu. Além da Star, ambos trazem experiências da classe Laser e da vela oceânica, mas estreiam em uma competição da SSL em Hamburgo. “O espaço das regatas é menor do que a Raia 1 da Represa Guarapiranga. Em uma raia pequena a largada é o mais importante. Parece que vai ser meio loteria e isso pode ser bom para a gente”, espera Tutu. O City Grand Slam distribui 100 mil dólares em prêmios e os vencedores somam 3.000 pontos no ranking da SSL.


Cerimônia de abertura-


 

A primeira edição do City Grand Slam foi oficialmente aberta nesta segunda-feira (2) na Câmara Municipal de Hamburgo, palácio de estilo barroco e um dos cartões postais da segunda maior cidade da Alemanha, apenas atrás de Berlim. Praticamente os 180 velejadores participaram do evento no edifício histórico e receberam as boas vindas de autoridades políticas e esportivas. As regatas terão início nesta terça-feira às 10h00, horário local, (15h00 de Brasília). A festa de encerramento está prevista para sábado, último dia de regatas, no Museu Marítimo de Hamburgo.
As transmissões ao vivo pelo site oficial do evento, city.starsailors.com, terão comentários de especialistas e velejadores convidados no estúdio instalado no Norddeutscher Regatta Verein. Na água, uma equipe embarcada irá produzir imagens em alta definição, mesclando ilustrações gráficos em 3D às imagens em tempo real, oferecendo assim, a telemetria completa das provas em detalhes como, distância, velocidade e nacionalidade dos barcos.
Regatas eliminatórias –


 

A forma de disputa da SSL é garantia de emoção. Na primeira fase os 80 barcos serão divididos em flotilhas amarela, azul e vermelha, com previsão de seis regatas para cada grupo. Os 30 mais bem classificados seguem para a segunda fase, com mais cinco regatas. Os dez primeiros avançam para três regatas eliminatórias: quartas de final, semifinal e final, com oito, seis e quatro barcos, respectivamente, sendo que o vencedor da segunda fase vai direto para a final, enquanto o segundo colocado se garante na semifinal. As regatas decisivas estão previstas para sábado (7/5).
A Star Sailors League (SSL)


 

foi criada em 2013 por velejadores para atender a necessidade dos velejadores, fortalecendo a classe ainda mais diante da exclusão do programa olímpico. O primeiro grande evento foi a SSL Finals com premiação de 200 mil dólares e vitória de Robert Scheidt e Bruno Prada, em dezembro do mesmo ano em Nassau (BAH). Em 2014, os norte-americanos Mark Mendelblat e Brian Fatih venceram a final mundial. Em 2015, George Szabo e Edoardo Natucci (ITA) foram os campeões no Caribe, após Szabo vencer o primeiro Lake Grand Slam ao lado do do suíço Duccommun, na Suíça.


Fonte – Ary Pereira Jr –




*EDIÇÃO DA REDAÇÃO/ EDITORIAL EDITION
*Edição – Adilson Pacheco
MTB: 0002362/SC
E-mail: adilsonpachecoredacao@gmail.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/adilson.pacheco.75
Facebook: https://www.facebook.com/Regata-News-698702346874230/?fref=ts
Issuu: https://issuu.com/regatanew_sc
http://www.dailymotion.com/adilson-pacheco1