São Paulo – Robert Scheidt repetiu o desempenho da estreia da Copa Brasil de Vela, e subiu para a quarta posição na classificação geral

0
113

rOBERT 456 (1) (1)O maior atleta olímpico brasileiro foi 3º e 17º nas regatas desta quarta-feira (16), na Baía de Guanabara


Edição – Adilson Pacheco
Fonte – Juliana Leite
ZDL –
Post – 17/12-18:14


 

– Em mais um dia de ventos fracos e instáveis, Robert Scheidt repetiu o desempenho da estreia da Copa Brasil de Vela, e subiu para a quarta posição na classificação geral. Scheidt fez um 3º e um 17º lugares nas duas regatas desta quarta-feira (16), disputada dentro da Baía de Guanabara. A liderança segue nas mãos do australiano Mathew Wearn.

Como na terça-feira,

as regatas começaram depois das 15h30. “A primeira prova foi de recuperação. Não larguei muito bem, mas fui subindo posições ao longo da disputa, até terminar com o terceiro lugar. Já na segunda prova, o vento diminuiu bastante. Eu arrisquei muito, optei pelo lado esquerdo da raia, como na primeira regata, mas o vento virou para o lado direito e acabei perdendo muitas posições”, explicou Scheidt, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star.

As condições climáticas

desfavoráveis nas raias olímpicas acirraram ainda mais a disputa, com os primeiros colocados muito próximos uns dos outros na classificação. “Todos estão oscilando bastante, será uma competição de pontuação elevada”, apostou o brasileiro, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex, Deloitte e Audi, com os apoios de COB e CBVela. “Mas preciso velejar melhor nos próximos dias e diminuir a minha pontuação para chegar com chances de pódio à medal race, pois ainda temos o descarte do pior resultado.”

Encarada como último grande teste olímpico deste ano, a Copa Brasil de Vela conta com todos os candidatos ao pódio dos Jogos do Rio 2016. Para a classe Laser estão previstas mais seis regatas até sábado (19). No domingo, os dez primeiros colocados seguem para a medal race, valendo pontos dobrados.


Classificação após quatro regatas


 

1. Mathew Wearn (AUS) – 29 pontos perdidos (1+2+11+15)
2. Nick Thompson (GBR) – 30 pp (2+13+7+8)
3. Tom Burton (AUS) – 30 pp (8+5+4+13)
4. Robert Scheidt (BRA) – 38 pp (17+1+3+17)
5. Pavlos Kontides (CYP) – 44 pp (12+18+10+4)
6. Jean-Baptiste Bernaz (FRA) – 46 pp (28+4+5+9)
7. Andy Maloney (NZL) – 50 pp (13+15+1+21)
8. Charlie Buckingham (USA) – 54 pp (10+20+12+12)
9. Bruno Fontes (BRA) – 57 pp (35+7+14+1)
10. Tonci Stipanovic (CRO) – 57 pp (44+3+8+2)


Maior atleta olímpico brasileiro


 

Laser


Onze títulos mundiais – 1991 (juvenil), 1995, 1996, 1997, 2000, 2001, 2002*, 2004 e 2005 e 2013
*Em 2002, foram realizados, separadamente, o Mundial de Vela da Isaf e o Mundial de Laser, ambos vencidos por Robert Scheidt
Três medalhas olímpicas – ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, prata em Sydney/2000

Star


Três títulos mundiais – 2007, 2011 e 2012*
*Além de Scheidt e Bruno Prada, só os italianos Agostino Straulino e Nicolo Rode venceram três mundiais velejando juntos, na história da classe
Duas medalhas olímpicas – prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012